Falcão e o Soldado Invernal – S01 E03 – O Mercador do Poder

Falcão e o Soldado Invernal – S01 E03 – O Mercador do Poder: O episódio “O Mercador do Poder” marca a metade da série e mais uma vez temos uma alusão a algo do universo dos mutantes da Marvel. Madripoor, cidade fictícia dos quadrinhos que tem muita conexão com um certo baixinho canadense e seus amigos moradores da Mansão X, é o palco de grande parte do episódio, deixando aqueles que gostam de tecer teorias de cabelo em pé!

O Mercador do Poder (Power Broker) foi um episódio bem movimentado! Mas com algumas coisas que não me desceram bem, como por exemplo Zemo (Daniel Brühl) sendo libertado da prisão de segurança máxima por um Soldado Invernal, até bem pouco tempo atrás procurado por todo o planeta e que ainda não tem uma boa imagem. E isso de uma maneira simples demais, até mesmo para heróis. Me incomodou também o fato de que, bastou Zemo informar à dupla de que era um nobre barão, para que o restante todo do MCU o tratasse como tal. O estranho disso é que, em Capitão América – Guerra Civil esse “detalhe” não é de conhecimento de ninguém.

Ficou bem legal, ainda que nem faça sentido

Além disso, há também a situação de Sharon Carter (Emily VanCamp), que se encontra refugiada em Madripoor depois de ter ajudado no roubo do escudo do Capitão e das asas do Falcão em Guerra Civil – só deu ruim pra ela… Ou não! O que vemos é uma Sharon em posição de extremo conforto e destaque, vendendo obras de arte contrabandeadas e dando festas de arromba. E ainda entra num carrão com motorista depois da pancadaria no porto! A suspeita imediata de que ela seja o Mercador do Poder é tão obvia que, certamente, não será verdade.

Só a Sharon assinou o B.O de Guerra Civil

Novamente, salvo no momento em que Sam atende a ligação no covil de Shelby e em outro onde o – agora – Barão Zemo bisbilhota no caderninho de anotações de Bucky, não tivemos mais nenhum aprofundamento nos problemas pessoais dos protagonistas que, ao meu ver continuam não funcionando bem como dupla, com piadinhas e birrinhas meio infantis demais. Parece que o desenvolvimento deles está muito devagar em uma série corrida e que já se encontra na metade.

Os Apátridas, neste 3º episódio, ganham mais personalidade e, principalmente a personagem Karli Morgenthau (Erin Kellyman) que realmente aparece como uma líder capaz de qualquer coisa por sua causa. Causa essa que também não foi totalmente explicada de forma compreensível.

John Walker, o novo Capitão América aparece pouco e provavelmente vai a caça de Sam e Bucky nos próximos episódios. Até agora, ele não saiu do papel de herói e esperamos para ver como ele será transformado no Agente Americano que conhecemos dos quadrinhos.

Temos, enfim, um gancho ao final, que remete diretamente aos filmes, trazendo a presença de uma das Dora Milaje, as mais formidáveis guerreiras de Wakanda e protetoras pessoais do rei, nesse caso, T’Challa, o Pantera Negra. Ela vem, pelo jeito, cobrar a bronca do assassinato do antigo rei T’Chaka, creditado ao Barão Zemo.

“Só vim pra moer o BARÃO na porrada!”

Será que teremos alusão ao Pantera Negra? E se houver, como será? A Disney já tinha dito que não usaria outro ator no lugar do falecido Chadwick Boseman

O que achou do episódio, amigo popnauta? E da resenha Falcão e o Soldado Invernal – S01 E03 – O Mercador do Poder? É menos amargurado que eu? Deixe seu comentário e nos acompanhe para saber tudo sobre Falcão e o Soldado Invernal!

Saiba tudo sobre o segundo episódio da série Falcão e o Soldado Invernal na matéria abaixo:

Avalie a matéria

Fabiano Souza

CAPITÃO no meio campo, escreve textos e destrói falsos deuses antes do café da manhã