Falcão e o Soldado Invernal – S01 E02

Falcão e o Soldado Invernal – S01 E02: O primeiro episódio de Falcão e o Soldado Invernal nos deixou com algumas perguntas – uma parte delas já é respondida logo de cara neste segundo capitulo. O episódio começa com John Walker, o novo Capitão América, tendo um papo com o que imaginamos ser um par amoroso, e depois com Lemar Hoskins (Clé Bennett), seu companheiro de batalhão, pouco antes de sua aparição pública. Aqui vemos uma certa discrepância em relação ao Agente Americano dos quadrinhos, mas já era esperado que o mesmo não fosse TÃO escroto quanto em sua encarnação original. Sua inclinação para a violência fica clara quando ele reclama dos discursos e afins e é aconselhado por Hoskins, que diz “você não pode mais resolver tudo na base do soco.”
Ver outra pessoa empunhando o escudo não deixa Bucky muito contente e ele vai ao encontro de Sam para afirmar que ele nunca deveria ter desistido do legado de Steve. Do nada ele embarca junto com o Falcão em sua missão de investigação dos Apátridas, com um simples “Vou com você”. Nesse ponto do episódio ficam algumas dúvidas: como ele simplesmente entra numa missão oficial, sendo ainda monitorado e com toda a desconfiança por parte do governo americano?

Eles descobrem uma operação dos terroristas e que estes também foram submetidos ao soro do super-soldado. Depois de entrar em combate e estarem levando uma pua, recebem a ajuda inesperada de John Walker e Lemar Hoskins, o agora Estrela Negra. Mesmo assim, não conseguem capturar os “vilões”. Rola uma animosidade entre as duas duplas quando Sam e Bucky são convidados a trabalhar junto ao novo Capitão América e seu parceiro.

De calibre em punho

A trama leva à revelação de que haviam outros super-soldados além de Steve Rogers na segunda guerra, um segredo muito bem guardado que Bucky descobrira quando ainda agia como Soldado Invernal na Guerra Fria. Ele e Sam vão ao encontro de um velho e ressentido conhecido de Bucky: Isaiah Bradley (Carl Lumbly) o Capitão América Negro, um super-soldado herói de guerra que passou 30 anos preso. Acredito que muitos não conheçam a história por trás do personagem.
Isaiah Bradley era um jovem negro de uma família rica de NY. Após se envolver em uma briga ele é obrigado a escolher entre a cadeia ou servir o exército nos esforços de guerra. Chegando a um centro de treinamento ele é obrigado a participar de uma “missão confidencial” com um batalhão de soldados negros.

Isaiah Bradley

Essa missão visava criar o soro do super-soldado, muito antes do sucesso obtido com Steve Rogers. A maioria dos colegas de Isaiah morre ou fica com deformações no corpo por conta dos experimentos, contudo, por sorte ou azar, ele e mais alguns amigos conseguem sobreviver e desenvolver força super-humana, os tornando super-soldados. Isaiah foi o primeiro a usar o uniforme em vermelho, azul e branco, mas foi esquecido e deixado à margem da história. Esses fatos são mostrados na graphic novel Capitão América — Verdade: Vermelho, Branco e Negro, escrita por Robert Morales e desenhada por Kyle Baker, lançada em 2003. Essa parte do episódio carrega muito a questão racial, pois ao sair da casa de Isaiah, Sam e Bucky tomam um “enquadro” da polícia local e… bem, Sam Wilson só é tratado com respeito depois de ser reconhecido como Vingador.

Depois, temos uma DR supervisionada entre os protagonistas, vemos o movimento dos Apátridas e a rivalidade com o novo Capitão America e Estrela Negra se acirra. Ao final, a narrativa força para a entrada em cena de Zemo (Daniel Brühl) – que ainda não é Barão – personagem introduzido no MCU em Capitão América: Guerra Civil, pois Bucky acredita que ele será a melhor forma de descobrir mais sobre os Apátridas – que até o momento pouco tinha a ver com a Hydra.

Particularmente nesse episódio a ação não foi tão vertiginosa e a profundidade dos personagens não foi tão explorada. Seus problemas pessoais foram totalmente deixados de lado e tivemos apenas poucos minutos mal explicados sobre o caráter e as motivações de John Walker. Mesmo o lado das questões raciais fica “jogada” e talvez fosse melhor explanada fazendo ligação com os problemas financeiros da família Wilson.

Vamos esperar para o próximo e ver como será o desenrolar dessa trama.

Gostou do episódio, popnauta? O que acharam da resenha Falcão e o Soldado Invernal – S01 E02? Deixe seu comentário!

Leia a resenha do primeiro episódio da série Falcão e o Soldado Invernal na matéria abaixo:

Avalie a matéria

Fabiano Souza

CAPITÃO no meio campo, escreve textos e destrói falsos deuses antes do café da manhã