The Witcher – Review dos episódios 5 e 6!

A saga de Geralt de Rivia continua, popnauta! Nosso azedo herói continua viajando por aí, caçando monstros, dando porrada em gente folgada e aturando o bardo chatão Jaskier. Com as linhas do tempo mais próximas, ficou muito mais fácil entender os eventos que correm paralelamente. Mas o mais importante é que não falta ação, humor e, agora, até mesmo um pouco de drama e romance!

E sedução!

Se você quiser conferir o que achamos dos dois primeiros episódios, clique aqui! Aí você pode dar sequência nos nossos reviews e ler o que achamos dos episódios 3 e 4 clicando aqui!

Episódio 5 – “Bottled Appetites”

Geralt está com um problema grave de insônia. Isso mesmo, um dos bruxos mais formidáveis de todos os tempos não consegue dormir direito desde que descobriu que seu destino está ligado ao da princesa Cirilla! O que fazer numa situação dessas então? Florais de bach? Cromoterapia? Assistir às versões estendidas de Senhor dos Anéis?

Nada disso! Geralt resolve apelar pra um djinn engarrafado, uma espécie de gênio-demônio que pode lhe conceder três desejos! O problema é que Jaskier não quer perder as chances de conseguir alguma coisa e, rapidamente, faz dois dos desejos! O djinn parece não gostar disso nem um pouco e o bardo acaba ficando com uma terrível infecção na garganta!

Se fosse escrito pelo Garth Ennis, a gente já sabe como isso ia acabar…

Pra curar uma infecção de origem mágica, apenas um mago – ou uma maga! Geralt recorre à bela Yennefer, que cura Jaskier – mas tenta, ela mesma, aprisionar o djinn para conseguir realizar seu próprio desejo: ser mãe!

O problema é que ninguém percebeu, mas os desejos nunca foram do Jaskier – eram do Geralt o tempo todo! Ele liberta o djinn fazendo um último desejo e, pensando bem, até que essa maga é bem bonita…

Não essa.

A chama da paixão entre Geralt e Yennefer se acende – mas qual foi o terceiro desejo de Geralt, que garantiu que ambos vivessem pra se descobrir, permanece um mistério.

Enquanto isso… Cahir contrata um doppler, uma criatura capaz de assumir a forma de qualquer pessoa. Ele assume a forma do mago da corte de Cintra, Mousesack! Com a identidade roubada, ele vai até o reino da mata onde Ciri está escondida e a tira de lá.

Episódio 6 – “Rare Species”

Geralt e Jaskier se unem a uma comitiva que pretende caçar um dragão, sob as ordens de Borch, um velho aventureiro. O porém? Yennefer também faz parte de uma das comitivas (são quatro), como escolta de um jovem e presunçoso cavaleiro em busca de fama e glória! Como há uma grande recompensa pelo dragão, um grupo chamado Reavers e uma comitiva de anões também está atrás do réptil. E aí começam os problemas…

“Oi, sumida RISOS”

Quando o cavaleiro que a escoltava é morto, Yennefer não só se une à comitiva de Borch como também desiste de lutar contra a atração que sente por Geralt. Os anões apontam um caminho mais curto para chegar ao covil do dragão, mas Borch acaba por se sacrificar para que a comitiva possa prosseguir. Eles finalmente encontram o covil do dragão, uma femea morta tentando proteger seu ovo, mas essa não foi a maior surpresa…

Borch está vivo! Ele mesmo é um raríssimo dragão dourado, e queria atrair Geralt até o covil para que ele ajudasse a proteger o ovo dos caçadores de recompensa! E é o que eles fazem: distribuem porrada nos reavers para garantir que a espécie dos dragões possa continuar e dá aos anões dentes do dragão morto para que eles possam reclamar os prêmios sem causar dano à espécie!

Por que não chamaram ela?

Infelizmente, Geralt dá com a língua nos dentes e revela que um dos seus pedidos, no episódio anterior, ligou seu destino ao de Yennefer. Ela questiona seus sentimentos pelo bruxo, achando que pode ser tudo culpa da magia do djinn e não seu livre-arbítrio, e parte furiosa. Geralt insiste que não a forçou a se apaixonar – seu código de ética, honra e nobreza impediriam algo assim – mas nada disso é suficiente para acalmar Yen.

A cena acaba sendo bem triste, porque Geralt realmente gosta dela mas é Borch quem resume os sentimentos do bruxo pela maga em uma cena anteriol: “Você nem mesmo pisca perto dela, porque não suportaria perdê-la de vista”.

Enquanto isso… Ciri começa a desconfiar do dopple e acaba descobrindo sua natureza maléfica! Ele a prende na mata e tenta descobrir mais sobre os planos de Cahir, se passando pela própria Ciri! Por que ela é tão importante, afinal? O que ela tem de especial que vale essa conspiração?

Além do fato de ser legítima herdeira do trono, claro.

Na mata, Ciri consegue fugir – seu objetivo agora é tentar voltar à proteção da rainha Eithne na floresta de Brokilon… Mas será que ela pode encontrar o caminho de volta sozinha?

Com episódios cada vez melhores, The Witcher é, sem dúvida, um dos grandes programas da Netflix pra esse fim de ano. É perceptível como a estrutura narrativa vai se afunilando para que os caminhos de Geralt e Ciri se cruzem e, a apenas dois episódios do final, não resta dúvidas de que o melhor ainda está por vir. Segure a expectativa, popnauta, e clique aqui para acompanhar essa saga na Netflix!

Avalie a matéria
Compartilhe

Raul Kuk o Mago Supremo

Raul Kuk - o Mago Supremo. Pai de uma Khaleesi, tutor de uma bruxa em corpo de gata.