Sonic Adventure

Lembro-me como se fosse ontem, quando vi nas revistas de games em 1998 fotos do novo jogo do Sonic. Não tinha nada que chegasse perto de tamanha inovação (Ok, tínhamos o Mario 64 em plataforma 3D, mas não tinha a velocidade e sagacidade do ouriço azul). Fiquei alucinado “já juntando” uma grana para comprar meu Dreamcast cabalístico em 09/09/99, que vinha com o jogo na versão americana.

A versão Japonesa saiu em 18/12/1998, quase um ano antes.

Estamos falando do primeiro jogo da era 3D do Sonic de verdade, o Sonic Adventure (tinha o Sonic Jam do Sega Saturn que movimentava um Sonic 3D para ver videos, fotos, musicas e jogar os games 2D da era do Mega Drive, além do Sonic R que era um jogo de “corrida de bonecos”, mas enfim).

Sonic Adventure tinha uma apresentação em CG absurda, com músicas marcantes para a época que saiu, com uma primeira fase (Emerald Coast) frenética, com uma parte onde uma baleia selvagem segue destruindo toda a ponte que o Sonic está correndo.

Em geral todas as fases onde jogamos com o Sonic são muito boas, com ótimas menções a Speed Highway e Lost World, onde a música encaixa perfeitamente com o cenário.

Esse Sonic inovou para o bem ou para o mal trazendo outros personagens ao mundo “Sonistico”. Além de Miles Tails Prower, Knuckles The Echidna e Amy Rose dos jogos da era 2D, temos também o gato Big The Cat e o robô E-102 Gamma com jogabilidade e estilos de jogo únicos.

Fato que muita gente odiou, eu incluso, era jogar com o Big the Cat, pois além dele ser leeeeeento demais quebrando o clima rapido do jogo, ainda temos que ficar muito tempo pescando com uma jogabilidade horrorosa. As fases com o robô eram OK. Os outros personagens tinham fases menores, mas meio que parecidas com as do ouriço.

Outra coisa que não agradou muito foram as partes de ”aventura” que o jogo tem onde temos que conversar com humanos para fazer tal coisa X ou Y e seguir finalmente para os ACTs de ação e para os mini games curtos de corrida (Twinkle Circuit), avião, snowboard, etc.

Esse jogo tambem inaugura um modo de colecionar, cuidar e brincar com bichinhos, os chamados Chaos, usando o VMU como aqueles minis games tipo “tamagochi” ou no próprio videogame para ficar chocando ovos, alimentando, participando de corridas entre outras cositas mais.

Esse game foi um marco na época além de fazer um grande sucesso, tanto que saiu para diversas plataformas aos longos dos anos, com versões DX, Director´s Cut, etc.

Por me trazer ótimas lembranças ainda o jogo sempre que possível, adoro as partes de fases de ação e suas músicas.

Recomendo a todos os fãs de Sonic zerar esse game.

Avalie a matéria

Charlinho , o Belo!

Charlinho, o belo! O homem de cabelos esvoaçantes que devora jogos e games como se fosse café da manhã com cereais dos campeões! Roqueiro e pirata nas horas vagas! Mas, no fundo, no fundo, é um menino humilde que gosta de batatas e de estudar!