Falcão e o Soldado Invernal – S01 E01

Falcão e o Soldado Invernal – S01 E01: Falcão e o Soldado Invernal (The Falcon and The Winter Soldier) estreou na sexta feira, 19/03/21, no Disney+. Com roteiro de Malcom Spellman e direção de Kari Skogland – de The Handmaid’s Tale – o primeiro episódio intitulado “Nova Ordem Mundial” começa cerca de seis meses após o “Blip” e o retorno das pessoas que haviam sido desintegradas 5 anos antes pelo estalar de dedos do Thanos em Vingadores: Guerra Infinita.
Temos logo de cara uma sequência de tirar o fôlego, digna das maiores produções de cinema, onde vemos o Falcão (Anthony Mackie) persegue Batroc (Georges St. Pierre, o ex-campeão de MMA), líder de uma organização terrorista chamada LAF, afim de resgatar um piloto do exército americano e impedir um provável incidente internacional.
O final dessa missão nos leva para o que imaginamos serem dois dos plots da série: O primeiro é relacionado a um grupo extremista chamado Flag Smashers, objeto da investigação do Tenente Joaquim Torres (Danny Ramirez) – que nos quadrinhos já assumiu o manto do Falcão quando este se tornou o Capitão América. O outro plot é a “passagem do escudo”, onde Sam Wilson decide não carregar o fardo de empunhar o escudo e se tornar o novo sentinela da liberdade, entregando então o artefato ao museu de relíquias do Capitão América. Claro que isso fará muita água rolar no decorrer da série.

Sam, então tira um tempo para tentar reestabelecer seus laços familiares, depois de seu “desaparecimento” no período entre o snap e o blip. Isso marca um outro mote da série: os problemas pessoais e financeiros da família Wilson. A cena no banco é constrangedora.
Bucky Barnes, o Soldado Invernal (Sebastian Stan) luta contra os fantasmas de seu passado como assassino da HYDRA e para isso conta com a ajuda de uma terapeuta. Vemos logo de cara ele sonhando com de uma de suas missões, vemos também a sua relação com Yori Nakasima (Ken Takemoto), que tem uma ligação muito peculiar com a missão do sonho e é responsável por uma das cenas mais impactantes do episódio. Essa busca por redenção de Barnes será também um dos plots da série.

Ao final dos 40 minutos do primeiro episódio temos a aparição de John Walker (Wyatt Russell), o Agente Americano. Um novo supersoldado que tomará o lugar do Capitão América como “defensor dos Estados Unidos”. Esse personagem promete, pois nos quadrinhos, realmente vestiu o manto de Steve Rogers a mando do governo dos Estados Unidos. Nomeado originalmente como Superpatriota e depois Agente Americano, ele ficou conhecido por seus métodos violentos, sem escrúpulos e até meio alucinados. Um grande contraponto à decisão de Sam Wilson de entregar o escudo.

A série parece apostar no clima de espionagem e também nos dramas pessoais dos protagonistas. Fato curioso: neste primeiro episódio não há nenhuma interação entre os dois, porém já havia sido explanado que o criador da série se baseou em filmes como Máquina Mortífera (1987), Fuga à Meia-Noite (1988), 48 Horas (1982) e A Hora do Rush (1998) para questões de parceria e questões raciais.
Agora é aguardar o segundo episódio e ver como as coisas se desenrolam. Não perca nossa resenha do segundo episódio!

Saiba mais sobre a série Falcão e o Soldado Invernal na matéria abaixo:

Avalie a matéria

Fabiano Souza

CAPITÃO no meio campo, escreve textos e destrói falsos deuses antes do café da manhã