POCKET POC CON – NÓS FOMOS

Amigos do Popsfera, popnautas de todo o universo, sejam bem-vindos à POCKET POC-CON, a versão win rar da POC-CON! O evento aconteceu em São Paulo, nos dias 25 e 26 de janeiro, no espaço UM55, na República, e nós estivemos lá.

Para essa aventura, reunimos um time que contou não apenas com Raul Kuk, Fabiano Capitão e esse que vos escreve, Daniel Gregio, mas também com a ilustre e contrastante presença de minha mãezinha, Dona Dita Gregio. Isso mesmo, dona Dita, também conhecida como Bobinha, nos acompanhou totalmente empolgada esbanjando simpatia e até tirou um tempo pra ler gibis!

“Eu adorei o gibi, Dandanzinha!” (sim, ela sempre me chamou no feminino…)

A Poc-Con é um evento de quadrinhos e artes gráficas protagonizada por artistas LGBTQ+, que pretende reunir e dar visibilidade aos talentos multicoloridos em eventos abertos ao público. Fomos absurdamente bem recebidos e encontramos um ambiente de amizade e confraternização e, o mais importante, teve muita HQ de qualidade por lá.

O evento teve sua primeira edição em 2019 mas, antes da sua segunda edição (que vai acontecer durante a semana da Parada Gay 2020), fomos conferir a versão pocket do evento.

No local, fomos ciceroneados pelo Mário César e pelo Rafael Bastos Reis, organizadores da Poc-Con. Ninguém melhor do que ambos para apresentarem o evento:

MÁRIO CÉSAR E RAFAEL BASTOS

Não custa lembrar, Mário César é autor de Bendita Cura, HQ que retrata a infância e adolescência de um garoto chamado Acácio do Nascimento que sofre ao descobrir sua sexualidade enquanto seus pais e a sociedade cobram dele um comportamento padrão que ele não pode entregar. Essa obra foi indicada ao Prêmio Jabuti 2019 como MELHOR HISTÓRIA EM QUADRINHOS do ano, junto com quadrinistas do quilate de Bianca Pinheiro, Marcelo Quintanilha, Alexandre De Maio, entre outros, e foi vencedora do Prêmio HQ Mix na categoria MELHOR WEB QUADRINHO no mesmo ano.

Esses e outros trabalhos do Mário César podem ser encontrados na Ugra Press ou na Amazon.

Rafael Bastos, por sua vez, é autor de Pornolhices, uma série semiautobiográfica que fala sobre sensualidade gay hot hot hot e que pode ser adquirida em eventos como a POC CON e também diretamente com ele em sua página no FACEBOOK (link aqui, dê uma olhada), ou ainda em sua conta no INSTAGRAM (clique aqui e vai lá conferir).

Melhor tatoo do evento.

ALINE ZOUVI

Quem também esteve por lá e nos atendeu com muita simpatia foi a quadrinista ALINE ZOUVI.

Aline Zouvi é quadrinista, cartunista e escritora, além de ministrar oficinas de quadrinhos em diversos eventos por aí. Adora quadrinhos autobiográficos e estudou particularmente a obra de Alison Bechdel, cartunista norte americana autora de Dykes to Watch Out For (tira considerada uma das primeiras manifestações lésbicas dentro da cultura pop) e Fun Home (obra vencedora de um Eisner e que acaba de receber reedição em português pela editora Todavia) para seu mestrado em Teoria Literária na Unicamp.

Vencedora do prêmio Dente de Ouro 2018 (categoria Quadrinhos) e finalista do Prêmio HQMix (categorias Arte-finalista Nacional, Novo Autor e Publicação Independente), Aline Zouvi conversou um pouco conosco sobre seu trabalho. Confira:

A obra de Aline Zouvi podem ser encontradas nos seguintes links:

Aline Zouvi na Ugra Press

@alinezouvi no Instagram

alinezouvi.com

Loja on line da Aline

INDIEVISIVEL PRESS

Estúdio Indievisivel Press

A arte acima é uma imagem de apresentação do Estúdio Indievisivel Press que também esteve presente na Pocket Poc Con, representado por Nath Bê e Leonardo Himura.

O desenhista Dani Bolinho, o autor e editor Leonardo Himura e as autoras Chris Quin, M. Carvalho e Nath Bê possuem como proposta desenvolver histórias únicas, intimistas e às vezes fantásticas… mas sempre humanas. Cada membro da equipe vem de uma área diferente e contribui com uma visão de mundo única. Pessoas de áreas complementares e ao mesmo tempo completamente dissonantes. Cada um a seu jeito contava histórias com fundo mais humano, falando sobre o dia a dia de personagens fantásticos e pessoas comuns e como elas lidam com pagar contas, tentar ser felizes, sobreviver à depressão ou fazer alguma diferença no mundo.

Juntos, els são a IndieVisivel Press.

Para conhecer um pouco mais sobre o trabalho da IndieVisivel Press, acesse:

IndieVisivelPress.com

IndieVisivel Press no Catarse

IndieVisivel Press no Facebook

FLÁVIA BORGES

Flávia Borges por ela mesma.

Tivemos a honra de conversar um pouquinho com Flávia Borges, que estava como sempre sorridente e desta vez ainda mais por causa do sucesso de seu último projeto pelo Catarse, a HQ Quando Descobri Que Eu Era Menina.

Flávia Borges, que também assina como Breeze Spacegirl, é ilustradora e quadrinista nascida em São Paulo. Estudou ilustração na Quanta Academia de Artes, já lançou um quadrinho independente (o Maré Alta), já participou de eventos como a FeiraAnti, a Ilustre feira, Anime Friends, Pixel Show e Comic Con Experience 2018 (CCXP).

Flávia é responsável por uma conta no Instagram muito legal. Se eu fosse você, iria lá conferir:

FLÁVIA BORGES NO INSTA

E esse foi o nosso pequeno registro sobre a POCKET POC CON, e desejamos de verdade que seja a primeira de muitas, assim como o evento principal de (quase) mesmo nome.

Adoramos o carinho com que fomos recebidos, nos impressionamos com o profissionalismo da organização e com a paixão em cada detalhe vinda de todos os envolvidos na feira.

A vida inteira nós todos lemos gibis dos X-Men. Ninguém nunca soltou raios pelos olhos ou acordou com garras gritando no meio da noite. Mas todos nós aprendemos que não há sentido em odiar algo apenas por ser diferente. Se você ler um gibi LGBTQ+, eu te garanto, absolutamente nada vai acontecer com sua orientação sexual e, fato muito importante, você corre o risco enorme de se deparar com uma excelente HQ, assim como aconteceu conosco.

Beijos a todos!

Avalie a matéria