Akira invade as ruas de Tokio

Em 1982 Katsuhiro Otomo, então com 28 anos, publica no Japão pela primeira vez o mangá AKIRA, clássico máximo do gênero cyberpunk e ficção científica. Numa trama já conhecida por todos nós, no ano de 2030 na cidade de Neo-Tokio, uma gangue de motoqueiros se envolve numa tremenda confusão quando um de seus membros se choca com uma criança que surge no meio de uma autoestrada.

Essa criança é Takashi, o número 26. Takashi faz parte de um programa secreto do governo japonês que tenta entender e controlar indivíduos com poderes psíquicos, entre eles Akira, cujo descontrole supostamente originou a explosão que dizimou Tokio 38 anos antes.

Uma reforma no epicentro dessa explosão, o Estádio Olímpico de Tokio, prepara o palco para os próximos jogos olímpicos que acontecerão na cidade.

Ou, pelo menos, é o que o governo alega.

Como a vida sempre imita a arte, em 2020 a cidade de Tokio realmente sediará os jogos da XXXII Olimpíada e muitos imóveis e instalações estão mesmo sendo reformados por lá.

Shibuya é um dos bairros mais movimentados em Tokio, excelente para compras, vida noturna e bons restaurantes. Nele, um enorme mural cercando a construção do Shibuya’s Parco Shopping traz algumas composições e montagens com a arte de Katsuhiro Otomo para o mangá Akira. Não se trata exatamente de arte inédita, mas sim reproduções em tamanho gigante de passagens icônicas do mangá.

Confira nossas imagens exclusivas gravadas em um celular comum, e mais algumas resgatadas do Google maps mesmo:

Se você estiver passando por Shibuya e quiser conferir o mural, esse aqui é local exato!

Akira está sendo publicado pela editora JBC e pode ser adquirido pela Amazon:

Colaborou @nelson_okaneku.

Avalie a matéria