Warrior Nun S01 – Episódios 5 e 6

Mais dois episódios de Warrior Nun, com doses de ação, draminha adolescente, romance, história bíblica que não faz sentido nenhum e tretas com demônios! Ava continua querendo tomar as rédeas de sua própria vida, enquanto a guerra ao seu redor parece estar esquentando – mas só parece.

bad-to-the-bone.mp3 playing in the background

O episódio 5 se chama “Matthew 7:13”, o versículo da bíblia que diz “Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela”. Ou seja, as coisas não vão ficar mais fáceis para Ava nesse eletrizante episódio! Prestes a ser pega numa armadilha, ela é salva no último minuto pela irmã Mary Shotgun e, pra demonstrar toda sua gratidão, ela simplesmente foge com JC em um navio. Jillian está ocupada, falando para a imprensa seus planos de abrir um portal que levará ao Paraíso, mas não perde a chance de atacar a igreja. Durante a coletiva, ela mostra o vídeo do ataque em que o Divinium foi roubado. O cardeal Duretti quer mandar o escudo feito de Divinium para o Vaticano, onde vai estar mais seguro, enquanto passa por cima de padre Vincent e assume o controle da Ordem da Espada Cruciforme.

Enquanto viajam de navio, Ava decide contar a JC sobre seu passado, mas de maneira obtusa. Ela diz que tomou algo que não era dela (o Halo) e passou a maior parte da vida no orfanato – mas não conta o que é o Halo, não fala sobre sua ressurreição e nem sobre os seus novos poderes. Informação demais. Ela só quer viajar, curtir a vida com o namorado e sentir coisas que achou que jamais poderia enquanto estava presa numa cama. Longe dali, o padre Vincent tenta fazer um acordo com Jillian: ele entrega o Divinium se ela deixar Ava em paz. Ela não parece muito inclinada a concordar com termos que ela mesma não coloque na mesa.

+,30,+As freiras continuam perseguindo Ava (e JC) e após o navio atracar, o casal é encurralado em um estacionamento. É quando surge o Tarask, diante de um desesperado JC, querendo sangue – e o Halo de Ava. Como ela vai sair dessa? Mediante sacrifício, mas aí é melhor você ver o episódio. A grande revelação aqui foi que Jillian tem um filho, aparentemente um doente terminal, preso a uma série de equipamentos tecnológicos que parecem monitorar sua condição em um ambiente totalmente estéril. As motivações dela, sem dúvida, passam pelo bem-estar do filho – e isso muda bastante a maneira como vemos suas ambições.

“Manhê, no céu tem pão?”

Depois de toda essa ação frenétyka, chegamos ao episódio 6, “Isaiah 30:20-21”. Esse versículo diz “Bem vos dará o Senhor pão de angústia e água de aperto, mas os teus mestres nunca mais fugirão de ti, como voando com asas; antes os teus olhos verão a todos os teus mestres. E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda.” Eu acho que foi escolhido aleatoriamente porque nesse episódio crime ocorre, nada acontece, feijoada. Bom, quase nada.

Ava sumiu, Shotgun Mary pede pra uma artista de rua fazer um “retrato falado” dela e, assim, dois velhinhos numa praia falam “ah, eu vi essa garota aí sim, ela foi láááá praquela montanha a uns trocentos quilômetros daqui”. É longe, a montanha não é pequena, mas Mary vai e meio que dá de cara com a Ava, porque não teve muita enrolação aí pra elas se encontrarem. As duas brigam, trocam provocações, “me mata então”, “vou dar na sua cara”, “você traiu o movimento punk”, “sai daqui, meu”… Chato demais. Elas acabam indo até um vilarejo muito bonito, onde Mary conhece todo mundo. Aos poucos as duas vão ficando amigas, se ajudam, vão se enturmando com os locais, expulsam um demônio na porrada… E é isso. Mary vai embora, deixando Ava no vilarejo, certa de que vai ter notícias dela de novo muito em breve.

“Eu vou ter que ficar nesse fim de mundo por mais um episódio?!”

Apesar da lenga-lenga, esse episódio é bem importante por mostrar como a Ava está começando a levar a sério o que aconteceu com ela, bem como a responsabilidade pelo Halo. Foi um ponto bem abaixo da média em relação aos anteriores, mas também é uma maneira de recuperar o fôlego antes da série entrar na sua reta final. Então esteja de volta aqui amanhã pra conferir o review de mais dois episódios.

Mais uma imagem aleatória de algo que não veremos na série.
Avalie a matéria

Raul Kuk o Mago Supremo

Raul Kuk - o Mago Supremo. Pai de uma Khaleesi, tutor de uma bruxa em corpo de gata.