ThunderCats Roar é Diversão Garantida!

Finalmente chegaram os seis primeiros episódios de ThunderCats Roar, o segundo reboot da clássica animação dos anos 80! Porém a nova versão dos sobreviventes de Thundera parece já ter sido discutida à exaustão desde 2018, quando foi anunciada. Muitos fãs do desenho original ficaram enfurecidos ao ver a abordagem infantil e bem-humorada, a exemplo do que aconteceu com She-Ra e As Princesas do Poder e Teen Titans Go.

Mas não se preocupem! Sua infância continua intacta lá nos anos 80! Vocês podem perfeitamente correr atrás de reprises de seus desenhos favoritos mesmo agora, beirando os cinquenta anos de idade, e deixar ThunderCats Roar divertir seu público alvo: crianças (tanto cronológica quanto mentalmente)! Ou você pode assistir Cats

Como alguém pode maldizer isso!?

ThunderCats Roar acerta em cheio não apenas no humor, mas também na ação. Os personagens são perfeitamente reconhecíveis, mesmo em suas formas caricatas: a criança em corpo de adulto Lion-O (talvez uma homenagem aos antigos fãs), o racional Tygra, o irascível Panthro, a sagaz Cheetara e os pentelhinhos Wilykat e Wilykit.

Buuu…

Mas a melhor atualização, sem sombra de dúvida, foi Snarf. Na versão original, ele era uma mascote boba com uma grande responsabilidade: cuidar do imaturo futuro rei dos ThunderCats. Ele até dava conta, mais por sorte que por capacidade, mas na nova versão o Snarf é uma unidade de combate fofa, cheia de armas e com limite de bateria que faz qualquer pessoa com um telefone celular se identificar com o drama que é ficar na mão quando mais precisa!

Uma retratação visual de minha saúde mental ao longo dos anos.

O visual dos vilões também ficou sensacional. É impossível não rir ao ver os Mutantes Escamoso, Simiano, Chacal e Abutre em versões estilizadas. E o que dizer do bom e (muito) velho Mumm-Ra?! Talvez um dos grandes vilões da história dos desenhos animados, aqui ele é digno de entrar para a galeria da fama de outros vilões clássicos, como Zeca Urubu, Gargamel e Dick Vigarista!

Ele ainda parece bastante com o Michel Temer.

Outro ponto positivo: exceto pelo tema de abertura, eles mantiveram a trilha sonora clássica! Impossível não sorrir ao ouvir o “tema de perigo”, mesmo nas situações mais absurdas! O tradicional logo dos ThunderCats tbm foi mantido igual o original. Aliás, está tudo lá: a destruição de Thundera, a chegada ao Terceiro Mundo, os Mutantes, Mumm-Ra, os simpáticos robozinhos construtores berbills…

“Corram, antes que um Zack Snyder nos deixe horrorosos e amargurados!”

Ah, vale lembrar que os episódios adaptam histórias da série clássica (o do unicórnio é hilário), o que acaba dando um senso de familiaridade para os antigos fãs (os que não estão se rasgando de raiva, pelo menos). Até o título do episódio duplo de estreia, “Exodus” foi mantido. Infelizmente, o sábio mentor Jaga (o Obi-Wan Kenobi do Lion-O) só apareceu narrando a destruição de Thundera no primeiro episódio. Também senti falta do velho lema “Justiça, Verdade, Honra e Lealdade”, mas é tanta coisa, acontecendo tão rápido (cada episódio tem apenas 11 minutos) que nem dá tempo de lamentar.

“Meu nome é Jaga e você está em Jackass Thundera!”

ThunderCats Roar é diversão na certa, se você está no espírito de rir em situações bizarras – como Lion-o falando “thunder!” várias vezes pra Espada Justiceira ficar cada vez maior! A série tem uma animação de excelente qualidade, o design dos personagens, Toca dos Gatos e ThunderTank ficou sensacional e, mais importante, sabe rir de si mesma. Talvez esse seja o maior problema com o público de meia-idade que reclama: eles acham que rir só é bom se for dos outros.

Ou talvez você prefira a “madura” versão da WildStorm…
Avalie a matéria

Raul Kuk o Mago Supremo

Raul Kuk - o Mago Supremo. Pai de uma Khaleesi, tutor de uma bruxa em corpo de gata.