The Boys S02E04 – “Nothing Like It in the World”

O quarto episódio da segunda temporada de The Boys não só conseguiu manter a temperatura dos três primeiros episódios lá em cima, como foi recheado de momentos que me fizeram sentir como Cliff Steele. Sim, o Homem-Robô da Patrulha do Destino.

What the FUUUUUCK!?

Amigo popnauta, não tem uma cena, mas UMA CENA SEQUER em The Boys que não faça a gente se questionar. Garth Ennis (e Darick Robertson) é um gênio, certo? Ele consegue, mesmo com todo o humor negro que permeia sua obra, fazer a gente levantar a sobrancelha quando fala da natureza humana e, de quebra, se valendo de meta-linguagem, dissecar a própria indústria dos quadrinhos. Dependentes demais dos super-tipos escoteiros, a Marvel e a DC são ricas em heróis incorruptíveis, nobres e altruístas.

Bom, tem esse babaca aqui também.

O que temos em The Boys é o outro lado dessa história: seres virtualmente invencíveis que se colocam acima do bem e do mal, se veem com deuses e possuem muitos, mas MUITOS esqueletos em seus armários. Afinal, se eu sou invencível, invulnerável, indestrutível e muito mais forte do que qualquer pessoa (ou exército), por que devo me sujeitar às mesmas leis? Por que não viver sob minha própria bússola moral?

Huehuehue

Bem, no caso é porque a bússola moral dOs 7 é completamente pervertida. Nesse episódio, vemos uma série de mulheres falando sobre amor – diretamente para a câmera. Estão falando comigo? A gente descobre no final, e o resultado, claro, é hilário. Kimiko está tentando lidar com o brutal assassinato de seu irmão nas mãos de Tempesta – que precisa lidar com os ciúmes do Capitão Pátria, agora que ela está no centro dos holofotes.

É o Capitão Pátria, inclusive, o responsável pelos momentos mais WHAT THE FUCK dessa semana, quando descobrimos outro dos esqueletos que ele tem no armário – ou um que a gente pensou que ele tinha colocado lá. Mas colocou mesmo e agora vai colocar outro, que talvez seja ele mesmo. Confuso? Espere só pra ver. Ele também expulsa Trem-Bala do time!

Fica pior: participando de um talk show apresentado por Maria Menounos, o “nobre” Capitão Pátria, ao lado de Maeve, precisa responder perguntas sobre diversidade nOs 7. Afinal, a equipe que ele dirige parece ter rostos cuidadosamente escolhidos como um ideal de beleza… arcaico, pra dizer o mínimo. Sempre sorrindo, ele fala que a equipe tem mulheres, negros e até um integrante gay! Isso mesmo, ele entrega Maeve em rede nacional – o que significa que Elena corre sério risco!

São as más companhias

Hughie e Leitinho partem para investigar uma pista que pode ser vital para a derrocada dOs 7: quem é a misteriosa heroína Liberdade, que desapareceu misteriosamente nos anos 70? A surpresa fica por conta de Luz-Estrela: após quase ser morta pelo Capitão Pátria, ela decide ir junto e tem uma noite de amor com Hughie – se depender dela, a última.

Enquanto isso, Billy vai tentar tirar Becca do complexo em que ela é prisioneira da Vought. Os dois claramente ainda se amam, sentem falta um do outro e querem paz e felicidade. Mas será que Billy Bruto é um homem capaz de ter tudo isso – ou mesmo garantir para a mulher que está ao seu lado, criando o filho do homem que ele mais odeia, de que nada vai machucar o menino?

Como não confiar nesse cara?

Se você está fazendo qualquer outra coisa da sua vida, pare agora! The Boys é a série que você deveria estar maratonando no Amazon Prime! Cheia de grandes momentos, com um roteiro verdadeiramente envolvente e personagens muito realistas – a despeito de seus poderes – o que temos aqui é uma verdadeira celebração do gênero super-herói, mas o tipo de celebração em que o tio bêbado entra e começa a contar quem traiu quem. Não perca mais tempo, popnauta! Aperte os cintos e esteja aqui semana que vem pra saber o que rolou no quinto episódio!

Avalie a matéria

Raul Kuk o Mago Supremo

Raul Kuk - o Mago Supremo. Pai de uma Khaleesi, tutor de uma bruxa em corpo de gata.