THE 100 – S07E04

O quarto episódio de THE 100 (sétima temporada) tem o nome de HESPÉRIDES, que na mitologia grega eram deusas meio ninfas donas de um jardim primaveril. Tenho a impressão de que o nome se refere ao jardim em Skyring e Octavia, Dyioza e Hope seriam as ninfas, ou Hécates.

A narrativa desse episódio continua no ponto em que Octavia e Dyioza foram aprisionadas pela galera de Bardo, o exército invisível. Eles estavam ali para escoltar um prisioneiro, Dev, que já conhecíamos de quando a Hope adulta encontrou seu cadáver. Na ocasião deu pra ver que Hope se importava com ele, e não era pra menos. Dev chegou para cumprir sua pena no momento em que Octavia e Dyioza saiam (ainda que momentaneamente) da vida de Hope. Eles teriam toda a pena de Dev, 5 anos, para treino e elaboração de um plano para que Hope saísse de Skyring. Você sabe como isso acabou: ela saiu, o corpo de Dev ainda está lá.

Quando eles se conheceram ela tinha uns 13 anos. Calma lá, hein, Dev…

Essa introdução, além de ser bem emocionante, serve como inspiração para o plano de Hope nos dias presentes: preparação, um plano de ataque e aguardar a data de retorno de Orlando, aquele tiozão que é o preso da vez. Antes disso será necessário conquistar a confiança dele, o que não é muito fácil mas acontece.

The 100 é uma série sobre decisões difíceis, e quando o plano dá meio errado, é a vez de Echo quebrar uma promessa. Orlando estaria amarrado na data de sua extração. Quando os Invisíveis se aproximassem, Echo, Hope e Gabriel atacariam, neutralizariam os caras e usariam suas armaduras pra saírem dali. Mas um deles se esquiva e Echo o mata, apesar de Orlando ter pedido para que isso não acontecesse; afinal de contas aquele ainda era o seu povo. Hope e Gabriel não aprovam, mas entendem que era aquilo ou falhar. Echo elimina os outros soldados e se dirige a Orlando. Gabriel intervém…

Orlando interpretado por Érico Borgo.

Enquanto isso Clarke, Miller, Gaia e outros estão lidando com o corpo de um Invisível encontrado próximo à cabana de Gabriel. Jordan vem avisar que tem um deles vivo pedindo pra falar com Clarke nos limites da cerca. Antes de atender a esse pedido, Clarke vai de encontro a Raven no reator nuclear. Ela está lá se lamentando sobre o que aconteceu.

The 100 é sensacional por causa disso mesmo: sempre a decisão entre morrer todos ou só alguns, às vezes escolhidos a dedo, às vezes escolhidos ao acaso. Mas sempre essa escolha precisa ser feita. Raven precisou fazê-la, mas ela não terá tempo nem de respirar antes de se ver na mesma situação.

O Invisível na cerca obviamente não está sozinho. Ele vem informar que são os discípulos de Anders, que eles estão com os amigos de Clarke e que precisam da ajuda dela para, segundo esse Anders, o líder deles, vencer a última guerra travada pela humanidade. Sempre soubemos que Clarke Griffin era especial, mas “a chave para vencer a última guerra que a humanidade fará”? Essa mulher nunca deixa de nos surpreender.

Nossa líder marca um encontro na cabana de Gabriel e, ao chegar lá, pergunta onde estão seus amigos desaparecidos: Bellamy, Octavia, Hope, Dyioza, Echo e Gabriel. O Invisível, agora chamado Discípulo, diz que eles estão em um planeta penal pois tinham matado alguns deles, e diz ainda que isso foi dito por Orlando em uma nota de suicídio. Rola uma tensão e a galera se vê num emboscada. É quando Raven, usando a armadura daquele primeiro corpo encontrado, salva o dia matando mais uns cinco sem muita dó, só uma cara de remorso…

O grupo entra no acampamento dos Discípulos e encontra uma daquelas esculturas chamadas de Mecanismo, estruturas que permitem manipular a Anomalia.

Raven, usando o capacete da armadura, consegue operar o dispositivo. Eles escolhem um planeta e vão. Gaia fica para cuidar de Madi, mas não consegue sair dessa caverna. Ela é atacada por alguém usando uma armadura, pode ser qualquer um. Essa pessoa aciona a auto destruição, mas Gaia dá uma voadora nela e ambos são sugados pelo vórtice de transporte que ainda estava aberto.

Agora, sem conseguir retornar, esse grupo se vê perdido em um planeta do qual nada se sabe. Gaia sumiu, Bellamy foi raptado, Octavia e Dyioza foram presas, Gabriel, Hope e Echo entraram na Anomalia lá em Skyring e provavelmente vão sair em Bardo.

Perdidos no Espaço.

A promo do próximo episódio sugere que Russel vai conseguir se libertar e retomar seu poder, e vai caber a Murphy e Indra tentar impedi-lo. Particularmente gosto muito desse rodízio de núcleos nos episódios. Além de certos assuntos terem a chance de serem mais explorados, todos os atores possuem seu momento de brilhar.

Assistindo esse episódio, alguma coisa me diz que teremos surpresas com essas viagens pela Anomalia. Bellamy está sumido, e eu aposto que ele viveu um tempo diferente dos demais. Acho que quando a galera o encontrar, ele já vai ter vivido uns 50 anos. Além disso, nesse episódio esse grupo também faz uma viagem pela Anomalia, e pra um planeta novo. Talvez a passagem de tempo seja diferente também…

Enfim, esteja aqui semana que vem para conferir o episódio 5 da temporada final de The 100!

Avalie a matéria