Superman: Man of Tomorrow – Animação da DC de Volta ao Básico!

A nova animação do Universo DC, Superman: Man of Tomorrow, pode muito bem ser o começo de uma nova safra de animações com os personagens da editora – algo que ainda não foi confirmado – mas ela já foi bem-sucedida em mostrar a origem do Homem de Aço de uma maneira dinâmica e, ao mesmo tempo, focada em suas principais e melhores características!

Com o fim da cronologia estilo Novos 52 que vinha permeando as animações da DC, abriu-se o caminho para uma nova linha: mais colorida, mais brilhante e com um tom de mais otimismo e esperança. “Justice League Dark: Apokolips War”, sobre a qual falamos aqui, fechou aquela linha, com visuais e títulos próximos dos quadrinhos, refletindo o próprio reposicionamento da editora. E não há melhor maneira de recomeçar a história do que com o primeiro e mais importante herói da casa.

“Eu sou FELÓIS.”

Seu ponto forte é justamente entender as principais características de Clark Kent, e de um Superman ainda em começo de carreira. Há uma série de elementos aparecendo: os Kents, o Planeta Diário (com Lois, Jimmy e Perry), Lobo, o Caçador de Marte, Lex Luthor e o Parasita, além de sutis menções ao Batman. Mas isso não torna a trama corrida demais, pelo contrário: os elementos vão se complementando de maneira bem coesa, fazendo a imersão nessa mitologia tão conhecida ser bem suave. Sabemos qual o papel de cada um, resta ver aonde a trama os levará.

Lembrei do gibi Ex Machina, do Brian K Vaughan

Sem perder tempo com Krypton ou o desenvolvimento dos poderes na infância, vamos direto para Metrópolis, onde o jovem estagiário do Planeta, Clark Kent, está tentando se enturmar. Secretamente, ele tenta usar seus poderes para ajudar as pessoas em situações extremas – o problema é que ele tem um monte de dúvidas sobre suas duas “vidas”. É quando surge o misterioso caçador de recompensas conhecido como Lobo – ele causa tanta destruição que dá origem a um novo super-vilão, o Parasita – e é necessária a intervenção do Caçador de Marte, vivendo escondido na Terra, para ajudar o recém-batizado Superman.

A trindade de aliens

Dirigido por Chris Palmer e escrito por Tim Sheridan, e com as vozes de astros como Zachary Quinto (como Luthor) e Alexandra Daddario (como Lois Lane), “Superman: Man of Tomorrow” acerta com uma animação colorida (sem excessos), vibrante e bastante cinética. A caracterização dos personagens não guarda surpresas, mas temos um Parasita com certa profundidade e, melhor ainda, um Lobo bem trabalhado dentro do que sua participação permitiu – é ele quem traz a kryptonita para Terra, inclusive. O Caçador de Marte “some” durante uma boa parte da história e volta com uma explicação que poderia ser melhor… Mas a aliança entre os três alienígenas foi um dos pontos altos da história e bem que podia ser mais explorada no futuro.

KAPOW!

Se há um problema com SMoT é justamente não ser o começo de um novo universo de animações, como “Justice League: War”, de 2014. Mas não resta dúvidas de que ela deixa pontas soltas que podem ser exploradas no futuro. Não é exatamente um filme de ação: a ideia é explorar melhor a personalidade de Clark Kent, mostrar quem ele é e como foram seus primeiros passos. Um bom entendimento do Universo DC, sem dúvida: falta só explorar os outros personagens e reuní-los.

Lois Daddario criando problemas para Lex Quinto.
Avalie a matéria

Raul Kuk o Mago Supremo

Raul Kuk - o Mago Supremo. Pai de uma Khaleesi, tutor de uma bruxa em corpo de gata.