Stargirl – T01E05 – Hourman and Dr. Mid-Nite

O 5º episódio de Stargirl tinha a pretensão de adicionar 2 novos heróis de supetão ao universo do show. E o que acontece quando há ambição e personagens demais? Acertou quem disse que não houve o desenvolvimento adequado dos personagens na trama do episódio e ainda tornou a história chata e prolongada demais.

Um novo Homem-Hora para uma nova geração

Para início de conversa, o episódio 5 começou com um flashback de nove anos atrás (após o confronto mortal da Sociedade da Justiça com a Sociedade da Injustiça), onde Rex Tyler, também conhecido como Homem-Hora, está correndo para conseguir salvar a si mesmo e sua esposa Wendy e deixando seu filho em segurança na pacata cidade de Blue Valley. Eles deixam o filho pequeno para trás com o irmão de Wendy, Matt, pedindo que ele cuide da casa deles e se faça passar por pai de “Rick Harris” (assim os vilões nunca descobririam que o garoto era filho de um herói da SJA).

Infelizmente, Rex e Wendy não foram muito longe pois, na mesma rua de sua casa, o carro deles é golpeado por Solomon Grundy. Rick não só cresce em um lar sem os pais que o amavam e protegiam, como também sofre abusos constantemente de seu tutor, talvez por achar que perdeu seu futuro brilhante no Vale do Silício para tomar conta do sobrinho e por isso desconta as frustrações no jovem.

Rick tem todos os motivos do mundo para crescer com raiva e ódio e se torna um jovem rebelde com raiva constante. A pior escolha para um candidato da nova SJA, certo? Errado.

Pat é sempre o ultimo a saber, tão Luke Wilson

Em paralelo à trama de Rick é mostrado Courtney levando para a escola sua enorme mochila recheada de artefatos da SJA, ideia que partiu da heroína após sua mãe quase descobrir seu arsenal super-heróico.

Courtney mostra outros pontos de falta de maturidade ao não saber selecionar os novos recrutas. Primeiro, porque discute os planos de novos integrantes com a nova Pantera dentro da escola e restringe os candidatos a somente jovens inconsequentes que estudam na mesma escola que ela. E as duas sequer perceberam que a Beth Chapel estava as seguindo.

A nova Doutora Meia-Noite

Aliás a introdução de Beth como nova Doutora Meia Noite não poderia ser mais bisonha, e isso mesmo que a gente releve porque é uma série voltada para um segmento mais jovem. Mas a produção da série não deveria subestimar a inteligência de seu público. Numa das maiores amostras de roteirismo e “coincidência”, Beth vai na casa de Courtney e, não sei com qual o propósito – talvez pressionar para serem amigas, afinal ela havia descoberto o segredo da Stargirl? – acha a viseira do falecido herói da SJA servindo de aperitivo para o cão do filho de Dugan. Pronto, mais uma recruta para a nova Sociedade da Justiça.

“Olha gente, que baita coincidência achei uma viseira com uma super inteligencia artificial jogado aqui no canto”

A viseira de Dr. Meia Noite basicamente faz tudo e não dá espaço para a personagem ganhar algum destaque, a não ser informar os dados que a inteligência artificial passa para ela. Não custa ressaltar que um dos destaques negativos da série é colocar os artefatos da antiga equipe de heróis como completamente autossuficientes! Acompanhe comigo: cajado cósmico senciente, roupa de Pantera que da super-força, garras e até equilíbrio para andar por cima das paredes, viseira com uma inteligência artificial e ampulheta de Homem Hora que confere super-força por uma hora.

“No meu tempo a carne de porco era mais gostosa”

Viram o problema? Independentemente de quem for o usuário, os equipamentos é que fazem toda a diferença e não o contrário. Se tem algo que se destaca nas histórias da DC Comics além do legado, é mostrar que os heróis se sobrepõem a qualquer equipamento, que a sua força de vontade, treinamentos e desejos são mais importantes que os trajes ou artefatos. E com a Sociedade da Justiça não era diferente. Doutor Meia-Noite era um cientista genial, porém cego, que criou uma viseira que possibilitava que voltasse a enxergar. Homem-Hora era um cientista que criou uma droga que lhe dava inicialmente super-força por uma hora. Sr. Incrível era uma das mentes mais brilhantes de sua época. Alan Scott, o Lanterna Verde, havia achado uma lanterna que lhe conferia poderes moldados e limitados apenas pela sua força de vontade. Pantera era um lutador que desejava fazer mais pelos jovens e sua sociedade. Ted Knight um cientista que cria um cajado cósmico.

Rick e seus dramas foi bem melhor trabalhado

Esta “nova versão” apresentada para a série aparentemente não tem o mesmo brilho, apenas uns contam com a sorte e outros são escolhidos por serem filhos dos membros da SJA original. Nenhum deles tem alguma aptidão especial, com exceção de Henry King Jr, que herdou os poderes do seu pai, Onda Mental, e certamente será integrado na equipe – se mantiverem a fidelidade ao personagem.

Em relação à trama de Hourman and Dr. Mid-Nite, o crescimento de Rick como personagem foi bem significativo, provavelmente porque teve bem mais tempo de tela que a Beth. O novo Homem-Hora, assim como Yolanda Montez, carrega traumas emocionais significativos em suas vidas e que tornam seus personagens bem mais ricos que a nova Doutora Meia-Noite. Quero crer que irão desenvolver a personagem mais do que “a que achou a viseira do Dr. Meia Noite e reporta tudo que a inteligência artificial apresenta”. Senão será mais uma personagem de pouca estrutura para segurar no show.

O episódio apresenta raros momentos de lucidez e bom manejo de uma história. Era tanto roteirismo que achei que a ampulheta do Homem-Hora ia pular no colo de Rick. Mas ao menos esse personagem teve uma carga melhor trabalhada. E ao contrário de todos os novos integrantes, ele quer vingança e não justiça.

Uma personagem tão útil que nem nota merecia

Infelizmente o saldo desse episódio não foi bom, principalmente se levarmos em conta os apresentados anteriormente. Faltou tempo de tela para trabalhar melhor muitos fatores do enredo e um cuidado mais elaborado com os personagens. Os vilões também aparecem pouco e espero que o próximo apresente uma melhora significativa. Torço para que deem uma nova guinada porque o t01e05 foi o ponto mais baixo da série até o momento.

Avalie a matéria

Puyol Miranda

Uma simples testemunha da humanidade, que presencia todos os dias as grandes maravilhas de Deus. Além de presenciar o mais lindo momento de uma etapa de crescimento, me tornar pai. Sou analista de ti, leitor de quadrinhos, decenauta convicto e amante da tecnologia.