Rick & Morty 4ª Temporada – Episódios 6 e 7

Finalmente, amigo popnauta! Após uma primeira parte vacilante (sobre a qual falamos aqui, aqui e aqui), Rick & Morty retorna com a segunda parte da quarta temporada! E esse recomeço é bastante promissor, com diversos elementos que amamos sobre a série! Confira:

Episódio 6 – “Never Ricking Morty”

Eles conseguiram! Em plena quarentena por conta do coronavírus, os roteiristas encontraram um jeito de contar a história dentro da história, usando boas doses de meta-linguagem! O episódio, cujo título faz referência ao clássico “História Sem Fim”, começa dentro de um trem… no espaço!

O trem, na verdade, é o Story Train: um plot device – que é um “mecanismo de roteiro”, numa tradução livre, ou um artifício narrativo, em auto referência, sobre dispositivos ou itens que fazem com que a história siga. Joias do Infinito em Vingadores, o Um Anel em Senhor dos Anéis ou qualquer coisa em Harry Potter. Aqui o mecanismo são as próprias histórias, na forma de uma antologia, em que Rick & Morty se veem diante de histórias de seu próprio passado.

Confuso? Bom, a resolução da história é um deus ex machina (quase que literalmente) e também um anti-clímax, com Rick & Morty se convertendo a… Jesus. Ainda temos Cabalá, crítica ao consumismo e, claro, uma referência à quarentena.

Não é um episódio dos mais brilhantes, mas volta a ser aquele show de referências e mensagens dentro da história que nos acostumamos a ver no passado. Se a ideia da série é brincar com diferentes estilos narrativos, aqui eles vão mais longe em sua própria auto-consciência – e com Paul Giamatti emprestando sua voz ao Senhor das Histórias e Christopher Meloni como Jesus! Não chega a extremos de quebrar a quarta parede como Deadpool ou Arlequina, sabendo dosar perfeitamente o roteiro com suas referências. O tipo de coisa que sempre é bem-vinda!

Episódio 7 – “Promortyus”

A referência a Prometeus não podia ser mais óbvia: Rick & Morty descobrem que foram controlados mentalmente por parasitas face-huggers, aquelas criaturas nojentas que grudam na nossa cara da série de filmes Alien. Claro, eles também botam ovos dentro de seus hospedeiros, que explodem em 29 minutos! Os dois conseguem escapar, quase por acaso, e então descobrem que… esqueceram a Summer naquele planeta!

Sempre é legal ver que, na maioria das vezes que aparece, Summer é a pessoa mais sensata do grupo. A história tem ótimas reviravoltas e aquela caracterização fantástica dos personagens em meio às decisões que precisam tomar (como derrubar a versão alienígena das Torres Gêmeas ou um novo ataque a Pearl Harbor). As referências cinematográficas, claro, vão bem além de Alien – e a cena pós-créditos é equivocadamente engraçadíssima.

Foi um dos pontos altos da temporada até aqui e, considerando esses dois episódios, parece que teremos uma narrativa mais sólida e regular daqui pra frente. Ficamos na torcida – e seguimos acompanhando! Volte em duas semanas pra saber o que mais vimos, mas não se esqueça de falar o que achou também!

Avalie a matéria

Raul Kuk o Mago Supremo

Raul Kuk - o Mago Supremo. Pai de uma Khaleesi, tutor de uma bruxa em corpo de gata.