Quarentena Musical – [Dia 145] – Millencolin – Life On A Plate

Com um sucesso de três décadas que ultrapassou o mundo da música underground, o Millencolin é uma das grandes bandas mundiais e é uma referência na Suécia.

A banda surge no ano de 1992 em Örebro, Suécia e tem seu nome baseado em uma manobra de skate chamada Melancholy (ou Sad Air). Com uma forte influência do esporte radical e pela música hardcore e punk rock, os caras idealizam uma banda com toda a velocidade do estilo com vocais melódicos e bem marcantes em suas canções.

No segundo ano da banda são gravadas duas fitas demo: “Goofy” e “Melack” lançadas de maneira independente. Como consequência dessas gravações, os caras assinam com a gravadora Burning Heart e no selo lançam ainda no mesmo ano o primeiro EP chamado “Use Your Nose”, já adicionando alguns elementos de ska no som da banda.

Em 1994 os caras estreiam com o polêmico “Tiny Tunes”, que na capa e nome do disco fazem referência ao desenho Tiny Tunes da Warner Bros. Por conta de problemas de infringir copyrights nos Estados Unidos, a banda relança o disco com o nome de “Same Old Tunes” posteriormente pela Epitaph. No disco, os singles “Mr Clean” e “Da Strike” se destacam e trazem um reconhecimento para a banda.

No ano seguinte, os caras lançam seu segundo álbum “Life On A Plate” pela gravadora Burning Heart e Epitaph simultaneamente pela primeira vez. E a grande verdade é que “Life On A Plate” é ousado, mas um registro matador da banda.

Com mais ska, o punk rock/hardcore melódico dos caras é ainda mais incrementado e trabalhado. O ótimo “Life On A Plate” é um disco “cascudo” boa parte do tempo, muito consistente e bacana de ser ouvido. Nele, foram registradas 14 faixa com 32 minutos de duração, sendo boa parte delas tocadas num ritmo veloz e frenético, com quebradas de tempo para o ska muito bem feitas.

Os grandes singles do álbum são “Move Your Car” e “Story Of My Life” que ganharam clipes muito bacanas. Além das ja citadas, “Bullion”, “Olympic”, “Friends ‘Til The End”, “Jellygoose”, “Reply”, “Vulcan Ears”, “Dr. Jackal & Mr. Hide” e “Softworld” são ótimas pedidas e merecem uma atenção especial na conferida.

Com “Life On A Plate” o Millencolin ganhava uma base de fãs firme na América do Norte, Austrália e Japão. Por aqui o cd saiu na época de lançamento e pegou super bem entre os fãs do estilo. Por isso, o disco representa muito na discografia da banda e é um ponto de alta criatividade, onde o grupo consegue atravessar os continentes com a sua música muito bem produzida.

Você pode ouvir esse disco nas principais plataformas de streaming.

Nos vemos amanhã para mais uma indicação e uma nova banda! PMA!

Avalie a matéria

Renan Rennxxx

Fã incondicional de quadrinhos dos anos 90 (maior década), colecionador de quadrinhos, LPs e Straight Edge desde 1987. Gibis no acrílico, pizza e Anaheim Ducks são outras paixões. PMA sempre!