Quarentena Musical – [Dia 144] – No Fun At All – Out Of Bounds

Continuando a nossa tripla recomendação de bandas suecas, hoje é a vez do No Fun At All, uma das mais importantes bandas de todos os tempos do punk rock/hardcore melódico mundial.

Os pesos pesados do estilo surgem em 1991 na região de Skinnskatteberg como um trio. Influenciados pelo punk rock e hardcore tocados na Inglaterra e Estados Unidos, o nome da banda surge em um mix da música “No Fun” (Sex Pistols) com o nome dos caras do Sick of It All. Ainda como trio, os caras compõem algumas músicas e em 1993 lançam o clássico “Vision”, um registro cru, rápido e violento do hardcore de mais alto nível.

Ainda em 1993, há uma alteração severa na formação da banda e nela entram Krister Johansson, Kjell Ramstedt e Ingemar Jansson, esse último se tornaria uma das vozes mais conhecidas e importantes dos anos 90 dentro do hardcore melódico.

No ano seguinte, os caras lançam seu primeiro álbum, chamado “No Straight Angles” e nele habitam uma série de clássicas músicas que são tocados até hoje e são muito queridas pelos fãs. Essa gravação que foi lançada pela gravadora Burning Heart na Suécia e pela Epitaph nos Estados Unidos fez um grande sucesso e já os colocaram em outro patamar. Era muito esperada a continuação desse clássico álbum, e em julho de 1995 é lançado o supra sumo “Out Of Bounds” também lançado pelas mesmas gravadoras do disco anterior.

O grande mérito de “Out Of Bounds” é com certeza solidificar o skate punk/hardcore melódico no cenário mundial de maneira definitiva. E por isso, é um dos álbuns mais queridos e lembrados do estilo de todos os tempos, um disco de qualidade indiscutível. Nas suas 14 faixas sendo executadas em 36 minutos, temos uma enxurrada de clássicos que foram trilha sonora de vídeos de muitos esportes radicais e coletâneas de música underground.

O grande single e ponto alto da discografia do No Fun At All é “Master Celebrator”, segunda faixa do álbum; uma música incrível e presente na coletânea que saiu no Brasil “90s Surf Music” da revista Fluir. Além dessa faixa, clássicos como “Beat ’em Down”, “In a Rhyme”, “Perfection”, “Don’t Pass Me By”, “I Have Seen”, “Out of Bounds”, “Talking to Remind Me”, “In a Moment” e “Stranded” completam a lista de músicas que são presença cativa nos shows da banda e representam uma fase de ouro do estilo.

Ouvir “Out Of Bounds” é especial e por mais que muitas músicas tenham tocado e muito nesses últimos 25 anos, ainda é muito relevante e impressionante o que os caras conseguiram entregar em um segundo disco. Essa é uma recomendação obrigatória, pois de fato, poucos álbuns se comparam a esse no grande e diverso cast da gravadora Epitaph.

Você pode ouvir esse álbum nas principais plataformas digitais.

E amanhã mais uma indicação sueca de responsa! PMA!

Avalie a matéria

Renan Rennxxx

Fã incondicional de quadrinhos dos anos 90 (maior década), colecionador de quadrinhos, LPs e Straight Edge desde 1987. Gibis no acrílico, pizza e Anaheim Ducks são outras paixões. PMA sempre!