Quarentena Musical – [Dia 136] – Earth Crisis – Destroy The Machines

O Earth Crisis é uma das bandas mais pesadas do mundo, e essa afirmação leva em conta muito além da sua instrumental agressiva e violenta e dos vocais brutais. O verdadeiro peso no som da banda se faz pela sua postura e mensagem, que se mantém firmes desde a sua formação até hoje.

A banda nasce em 1989 na região de Syracuse, New York com o seu nome escolhido por influência do disco “Earth Crisis” do grupo Steel Pulse. Até seu primeiro EP chamado “All Out War” sair em 1992 o grupo passa por alguns ajustes de formação, se solidificando para a gravação. Na turnê desse importante registro, a banda grava seu segundo EP chamado “Firestorm” lançado em 1993 já pela gravadora Victory Records, que seria a casa da banda por um bom tempo.

Com mais algumas alterações na sua formação, no ano de 1995 é lançado o seu primeiro álbum completo chamado “Destroy The Machines”, um clássico do hardcore em todos os sentidos e o disco de maior sucesso da Victory Records desde que foi lançado.

Em “Destroy The Machines” todo o espírito Vegan Straight Edge contestador e cheio de personalidade fica registrado para a posteridade. O disco é extremamente pesado e bem variado, um trabalho muito interessante e com músicas variadas, sem uso de grandes fórmulas. As letras são cheias de referências a padrões comportamentais da sociedade e questionamentos sociais bem relevantes. Inevitavelmente o disco vai te fazer refletir e isso é muito enriquecedor.

No total são 10 faixas sendo executadas em 35 minutos e passa muito rápido, parecendo ser muito menor do que a sua duração real. Alguns destaques da obra são “Forced March”, “Born from Pain”, “Destroy the Machines”, “New Ethic”, “The Discipline”, “The Wrath of Sanity”, “Fortress” e “Inherit the Wasteland”, não deixando de frisar que todas as faixas funcionam muito bem e são muito boas de serem ouvidas.

Além de serem totalmente influenciais para a evolução do Metalcore e expoentes do Hardcore Straight Edge, o Earth Crisis logo se tornou uma das figuras populares do movimento de militância vegana livre de drogas na década de 90, colocando o veganismo em evidência numa época onde o tema não era abordado dentro do mainstream; e muito disso se deve ao sucesso e excelência adquiridos em “Destroy The Machines”.

Você pode ouvir esse álbum nas principais plataformas digitais.

E amanhã mais uma indicação! PMA!

Avalie a matéria

Renan Rennxxx

Fã incondicional de quadrinhos dos anos 90 (maior década), colecionador de quadrinhos, LPs e Straight Edge desde 1987. Gibis no acrílico, pizza e Anaheim Ducks são outras paixões. PMA sempre!