Quarentena Musical – [Dia 127 e 128] – Terror – Lowest Of The Low / One With The Underdogs

Algumas bandas tem como grande característica sacudir o status quo de algum estilo ou época, gerando uma tendência e criando uma legião de fãs. Em uma cena como a do hardcore punk, a renovação da sonoridade das bandas é essencial e faz com que o estilo ainda esteja vivo e seja ainda tão atual e relevante.

Nos anos 2000, o já conhecido vocal Scott Vogel (Buried Alive/Sludgefest) saia da costa leste americana após o término dos seus projetos musicais, indo para Los Angeles, Califórnia. Já em 2002, surge o Terror, uma banda que iria dar muito o que falar na cena independente, principalmente após a gravação da sua primeira demo, com 4 músicas. O resultado dessa gravação foi fundamental para a banda conquistar um público inicial para fazer turnês divulgando essas músicas. E não demorou muito para que a banda assinasse com a gravadora Bridge 9 e lançar nela o seu primeiro registro, “Lowest Of The Low” no ano de 2003.

É inegável ver que “Lowest Of The Low” mudou muito o destino do hardcore nos anos seguintes. Uma gravação nervosa ao último, vocais brutais, instrumental rápida e criativa, indo direto ao ponto sem qualquer tipo de firula. Com nove faixas e dezesseis minutos de duração, o EP com cara de disco completo é um ponto alto da década e soa muito intenso e impactante até hoje. Alguns destaques vão para “Better Off Without You”, “Push It Away” (que ganhou um clipe), “Don’t Need Your Help”, “Life and Death”, “What Have We Done” e a pedrada “Lowest of the Low”.

Se passaram alguns meses para o Terror lançar a continuação de “Lowest Of The Low”, o álbum “One With The Underdogs”, lançado em 2004 também pela Bridge 9.

Em “One With The Underdogs” os caras mantém a linha brutal que os caracterizaram no disco anterior, letras nervosas e cotidianas alinhadas com vocais ainda melhores e muito mais bem trabalhados. O disco soa um pouco diferente do anterior pois é menos “cru”, mas não deixando sua essência de lado. Foi em “One With The Underdogs” que o Terror se tornaria uma referência nessa linha do hardcore mais agressivo e numa era onde o metalcore era a bola da vez, a banda colocou o hardcore em evidência novamente. Aqui temos um trabalho muito interessante que é impecável pelo uso correto e sem exageros de muitos elementos do hardcore punk nos seus primeiros passos somados a toda influência do hardcore metalizado que foi uma grande febre na década anterior.

Alguns petardos dessa obra tão aclamada são “One with the Underdogs”, “Keep Your Mouth Shut”, “Are We Alive?”, “Overcome” (e seu clássico video clipe), “Spit My Rage”, “No One Cares”, “Out of My Face”, “Enemies in Sight”.

Não é novidade que o Terror é um dos principais nomes do hardcore hoje em dia, e tudo começou com esses dois registros inesquecíveis da banda, que mesmo lançados há muito tempo atrás ainda são tocados até hoje nas apresentações ao vivo e são sempre pedidas pelos seus fãs.

Você pode ouvir esses dois discos nas principais plataformas de streaming.

Amanhã voltamos com mais uma banda e uma indicação. PMA!

Avalie a matéria

Renan Rennxxx

Fã incondicional de quadrinhos dos anos 90 (maior década), colecionador de quadrinhos, LPs e Straight Edge desde 1987. Gibis no acrílico, pizza e Anaheim Ducks são outras paixões. PMA sempre!