O CORINGA DE CESAR ROMERO

Um rolê pela carreira desse ícone da cultura pop.

Como é que pode ser verdade uma porra dessas, BÁTEMA?

Sabe aquele baile de carnaval horroroso que mais parecia o clube dos enxutos, cheio de tios barrigudos e tias loucas e bêbadas de quando você era criança? Então… Os episódios da série do Batman de 66 eram assim e o mais LOUCO de todos os personagens era o Coringa de César Romero.

A série foi meu primeiro contato com o universo do BÁTEMA e eu achava sensacional, colorido, ridículo e cafona. Meu Batman é assim, lamento. Mas a série, que se tornaria icônica, tinha muito mais do que apenas a Dupla Dinâmica.

A galeria de vilões do BÁTEMA sempre foi considerada uma das mais complexas e interessantes dentro do universo dos super-heróis e, na série, ela foi interpretada por um timaço de atores com destaque para Burgess Meredith que deu vida ao Pinguim (e também a Mickey Goldmill, treinador de Rocky Balboa), Julie Newmar, que interpretou a Mulher Gato por duas temporadas (e também inventou a meia-calça de nylon) e, claro, Cesar Romero e seu inesquecível Coringa.

Eu sou o Coringa, o Jóker, o Palhaço…

Filho de pai italiano e mãe cubana, Cesar Romero nasceu na cidade de Nova York em 15 de fevereiro de 1907. Começou no cinema em 1933, quando participou de duas produções ainda em preto e branco.

Em 46, atuou no filme WEEKEND IN HAVANA com Carmem Miranda, de quem se tornou grande amigo, chegando até a visitar o Brasil por conta dessa amizade.

Estrelou A VOLTA AO MUNDO EM 80 DIAS de 1956 junto com Cantinflas, Shirley MacLaine e Frank Sinatra.

Esteve também em ONZE HOMENS E UM SEGREDO, o original de 1960, de novo com Sinatra, Dean Martin, Sammy Davis Jr. entre outros.

Romero chega à produção de BÁTEMA, O HOMEM MORCEGO já com sólida carreira em Hollywood. O moral era tamanho que ele se recusa a raspar seu garboso bigodão de latin lover, proporcionando à DC o primeiro dos chamados MUSTACHE CASES.

Vai deixar o bigode, Superméim? Deixa eu também, HAHAHAHAHAHAH.

Cesar Romero foi o primeiro ator a dar vida ao Coringa tanto na TV quanto no cinema. A galera da produção rodou um longa-metragem que deveria ter sido lançado antes da série ir pro ar, mas a agenda apertou e o lançamento do longa foi adiado em alguns meses.

O tom do seriado já havia sido definido como cômico e pastelão. Teríamos um Batman gordo e ninguém ligou, teríamos o BAT SPRAY REPELENTE DE TUBARÃO e ninguém estava nem aí, então Romero resolveu descabelar o palhaço e nos trouxe um Coringa fanfarrão, espalhafatoso como todos na série. Uma interpretação bem distante da visão soturna e doentia do personagem que conhecemos hoje. Ali, Cesar Romero era o vilão de matinê, um Coringa pouco ameaçador, quase inofensivo. Mas que definitivamente marcou sua época, sendo inclusive referência clara para Jack Nicholson, que viveu o Coringa nas telonas mais de 20 anos depois.


Vou comer a tia do BÁTEMÃ, HUHUHUHU…

Cesar Romero faleceu no dia primeiro de janeiro de 1994 na cidade de Santa Mônica, na Califórnia.

Para muitos, a interpretação de Romero para o Coringa não é a ideal. Mas pra mim e talvez para boa parte da minha geração, que conhecemos o Batman pelo seriado antes até de encontrá-lo nos gibis, ela sempre será lembrada com carinho e com um enorme sorriso no rosto.

E lembrem-se: esse documento não prova nada! Prova só que o Coringa foi na Feira da Fruta!

THIS IS A FALLING DICK LIQUOR….
Avalie a matéria