Mighty Ducks: Game Changers Conclui sua 1° Temporada!

Mighty Ducks: Game Changers chega ao final de sua 1ª temporada com muito a contar e nós do Popsfera estamos prontos para revelar a vocês. Continue conosco!

Finalmente assistimos ao último arco do 1º ano do revival da Disney, Mighty Ducks: Game Changers, que compreende dos episódios s01e08 ao s01e10, e ele é carregado de surpresas e um ato final surpreendentemente bom.

Change on the Fly

A invejável sequência de vitórias do Nem Tenta é um clichê batido até dizer chega
A invejável sequência de vitórias do Nem Tenta é um clichê batido até dizer chega

Change on the Fly (s01e08) trata de desenvolver um empolgado Don’t Brothers (Não Tenta) que foi de azarão a sério candidato a uma das vagas para disputar o estadual de hockey após uma surpreendente sequência de vitorias.

Sob a batuta do técnico Bombay (Emilio Estevez) isso não seria surpresa, porém muitos fatores externos nos levam a acreditar que a maré de sorte do time é decorrente de amuletos extracampo ou do trabalho de Alex Morrow, afinal o mantra de diversão nos esportes está sendo levado a cabo pela personagem de Lauren Graham.

Se existe um problema nesse episodio, ele reside na necessidade de Lauren Graham “vomitar “ arrogância e excessos, por causa do repentino sucesso que lhe acometeu por causa da surpreendente sequencia de vitorias do Nem Tenta. Mas a atriz não consegue esse feito, tudo parece artificial demais para ela.

Até mesmo o ataque de pelanca gratuito do final do episodio é superficial, o que denota a limitação da atriz. Este excesso da personagem renderia a demissão da personagem pelas mãos de seu filho. Alias, que belo time, onde alguém dispensa outro com uma facilidade sem tamanho. Claro tudo em prol do melhor para os jogadores.

Head Games

Uma limitada Lauren Graham não atrapalhou a evolução da série no final da temporada dos Ducks!
Uma limitada Lauren Graham não atrapalhou a evolução da série no final da temporada dos Ducks!

Head Games (s01e09) traz as consequências das atitudes de Alex, que perde o comando do time para Bombay a pedido dos próprios jogadores. Enquanto o time viaja para competir pelo estadual juvenil de hockey, a personagem de Laura mergulha no trabalho, o que resulta em uma estranha amizade com sua chefe Stephanie.

Um episódio bem tranquilo onde o que acontece na verdade é a solidificação de Alex Morrow a frente do time. Sério? Sim. Bombay garoteia e revela para o treinador dos Patos o motivo por ter sido afastado do hockey juvenil. O rival não titubeia e o entrega para a direção do esporte, que planeja bani-lo. Resta a Evan ligar para sua mãe e a mesma, que sequer é advogada, defender o personagem de Emilio Esteves.

O mais engraçado de tudo é que Bombay já fora um advogado extremamente competente nos tribunais e foi incapaz de conseguir se defender com base nas regras do campeonato. Precisou que Alex fosse salvá-lo, lendo pelo celular em sua defesa!

Tá demitida! Tá recontratada! O vaivém do mercado em Mighty Ducks é tenso
Tá demitida! Tá recontratada! O vaivém do mercado em Mighty Ducks é tenso

Forçado né? E o resultado? Bombay salvo e Alex aclamada pelos jogadores para retomar o comando do time. Com o papel da mãe do capitão seguro como treinadora principal, nos resta acompanhar a caminhada meteórica do Nem Tenta rumo ao título, certo?

Errado.

Nada havia me preparado para assistir uma série romper completamente com um padrão estabelecido pela indústria nos últimos anos e que se tornou um clichê bobo em produções como esse show da Disney.

State of Play

Desde que Garotos em Ponto de Bala (The Bad New Bears), filme estrelado pelo saudoso Walter Matthau, estreou nos cinemas em 1976, criou-se um filão de produções que mostravam um time azarão sob o comando de um técnico truculento mas de coração mole, rumo ao inesperado sucesso. E a franquia original dos Patos foi uma que bebeu desta fonte.

E Mighty Ducks: Game Changers soube fugir do clichê de maneira muito original, utilizando o season finale em State of Play (s01e10). Todos, inclusive este que vos escreve, já esperavam a chegada do título de campeão para o Nem Tenta, ao sabermos que eles enfrentariam os Patos na final. Afinal “os mocinhos sempre vencem ou aprendem algo no final” disse Evan no primeiro episódio (que você pode ler aqui).

Só que a produção deu um toque dramático muito interessante ao mostrar que o joelho da craque do time, Sofi, estava em vias de sofrer uma contusão realmente séria se ela insistisse em jogar a final.

Sofi foi muito bem utilizada para fazer a série fugir do clichê e trazer surpresas agradavéis
Sofi foi muito bem utilizada para fazer a série fugir do clichê e trazer surpresas agradavéis

Mas existe um problema: se Sofi não jogasse o Nem Tenta perderia o jogo automaticamente, pois, pelas regras do campeonato o time precisaria ter no mínimo 10 jogadores no ringue. E como pouco drama seria bobagem, este era o exato número de atletas cadastrados no time treinado por Bombay.

Todo mundo apostava que ela mostraria garra e força de vontade fora do comum e jogasse a final, só que Evan, em um dos seus melhores momentos, se comportou como um verdadeiro capitão e líder do time! Pelo carinho e amizade que tem com todos, a impediu de jogar e tirou o fardo de sua melhor amiga. Fato este que foi apoiado por todo o time.

Final emocionante redefini uma série irregular mas que agradará o publico no geral
Final emocionante redefini uma série irregular mas que agradará o publico no geral

Os Ducks levaram o título, mas Bombay e Alex fazem um desafio ao time campeão, caso eles percam o Nem Tenta deixa de existir, porem se ganharem poderão assumir o nome dos Patos de Minesonta.

Desafio aceito, seguimos com um jogo muito emocionante onde o time de Bombay ganha de virada e se mostra realmente merecedor do manto dos Patos. Em determinado momento o show presta grande reverencia ao primeiro filme ao mostrar o Nem Tenta vestindo a camisa original dos Ducks, aquela do primeiro filme onde eles ainda eram Distrito 5.

Conclusão satisfatória no final de tudo?

Levei uns dias para poder escrever essa resenha porque ainda estava processando toda a narrativa da série e posso concluir que a Disney foi muito feliz nesse revival de um dos clássicos dos anos 90. Houve respeito e estudo com o material original. E se tivemos uma limitada Lauren Graham atuando e uma argumentação pífia para se criar um time no início da temporada, ao menos pudemos presenciar uma boa história sendo desenvolvida para uma nova geração.

Acredito que o material que os produtores trabalharam mostrou que a série tem potencial ainda inexplorado e pode-se chegar a um 2º ano muito bom. Porém arestas precisam ser aparadas para deixar o show menos instável, talvez limitando a Alex, já que no final ela diz que vai voltar para a faculdade de direito e isso seria um motivo muito bom para encostar a personagem na próxima temporada.

A produção foi muito feliz em usar aquela fórmula vencedora, que comentei alguns parágrafos anteriores, mas ajustada para chegar a um denominador comum: os Patos precisavam se destituir de toda a sua glória pregressa e voltar de forma humilde, porém arrebatadora, e a forma como conseguiram o intento foi original e bem desenvolvida.

No fim, o show irá agradar tanto as crianças, já que meu filho de 4 anos adorou, quanto ao público mais maduro. Mesmo a Disney ainda não confirmando uma 2ª temporada, torço para que o estúdio do Mickey Mouse oficialize um novo ano para esta produção.

E você amigo leitor, já conseguiu assistir The Mighty Ducks: Game Changers (Virando o Jogo dos Campeões) no Disney+? Nos dê sua opinião.

Avalie a matéria

Puyol Miranda

Uma simples testemunha da humanidade, que presencia todos os dias as grandes maravilhas de Deus. Além de presenciar o mais lindo momento de uma etapa de crescimento, me tornar pai. Sou analista de ti, leitor de quadrinhos, decenauta convicto e amante da tecnologia.