Máscara Negra, o obscuro e sádico vilão do Batman, digo, Mulher-Gato, digo, Birds of Prey!

Pobre menino rico! Se formos definir o Máscara Negra em uma frase, talvez essa seja a mais certeira. O fato é que seu alterego, Roman Sionis, apesar de nascer em berço de ouro, nunca deu lá muita sorte na vida, tendo o dom de um toque de midas às avessas, destruindo tudo e todos à sua volta.

Nosso pobre e azarado vilão desde cedo começou com o pé esquerdo. Mal nasceu e os médicos deixaram o menino cair, fraturando o cocuruto. Os pais, temerosos do que a sociedade poderia falar sobre o incidente, resolveram botar panos quentes e abafar a situação.

Depois, ainda criança, Sionis foi atacado por um guaxinim na floresta da mansão da família (não, o guaxinim não era radioativo e não, ele não foi atacado por morcegos). O pobrezinho ficou todo ferido no processo. Para, novamente, evitar escândalos, seus pais resolveram, mais uma vez, omitir o fato para a sociedade.

Roman foi crescendo e sendo condicionado pela família a priorizar a imagem antes de tudo, a sempre transparecer vitalidade e alegria diante da alta classe de Gotham, mantendo as aparências independente das circunstâncias, custe o que custar.

Sionis foi ensinado a sempre usar máscaras sociais, porém nunca foi instruído sobre quando tirá-las.

No fundo, Roman é uma antítese de seu amigo Bruce Wayne com quem, por questões sociais, forjara a amizade desde a infância. Enquanto Bruce foi um homem amado pelos seus pais, cuja morte brutal o levou a criar a persona do playboy milionário, encobrindo seu verdadeiro eu como o cavaleiro mascarado de Gotham, Sionis fora uma criança torturada psicologicamente pela cobrança e total falta de afeto dos seus pais, progressivamente destruindo-o por dentro, levando no futuro a usar a máscara que libertaria seu eu mais sombrio.

E assim, nesse meio feliz, Sionis foi crescendo, tornando-se um adulto amargurado, sob o julgo da mão de ferro dos seus pais. Foi então, como vice presidente das indústrias da família, a empresa de cosméticos Janus, que ele encontrou a mulher que seria o catalizador da grande guinada em sua vida: Circe.

Circe era uma mulher bonita, astuta e manipuladora, era modelo da Janus cosméticos e logo conseguiu subir na carreira ao engatar um relacionamento com Roman. Os pais de Sionis não a viam com bons olhos, pois queriam alguém da alta sociedade para seu filho, e proibiram o relacionamento. Tomado pelo ódio, Roman incendeia a mansão da família, matando seus pais no processo e herdando sua fortuna. Para evitar problemas, Circe serve de álibi para seu namorado.

Daí em diante as coisas degringolam de vez. Roman não tinha o tino comercial do seu pai, e começa a tomar decisões desastrosas que levam a empresa a bancarrota. Desesperado, resolve apressar o lançamento de um cosmético, que se mostrou altamente tóxico, mutilando vários consumidores. Circe, vendo a galinha dos ovos de ouro indo pro buraco, resolve terminar o relacionamento com Sionis, humilhando-o. No caos que se segue, Bruce, em nome da velha amizade, resolve ajudar, oferecendo-se para comprar a Janus, mas com a condição do Roman se afastar da direção da empresa.

Foi ai que, no fundo do poço, ele foi amaldiçoar a vida em frente ao túmulo dos pais. Lá estando, uma tempestade acaba por forçar Siomis para dentro do mausoléu da família. Em total loucura, começa a arrancar a madeira de ébano do caixão do seu pai, remodelando-o e construindo a Máscara Negra que daria nome a sua nova identidade vilanesca.

Imbuído pelo ódio, o agora Máscara Negra parte para a vingança contra aqueles que o humilharam, entre eles o próprio Bruce, que comprou sua empresa e Circe, sua ex-amante. Sionis logo demonstrou um talento inato para o mundo do crime, conseguindo construir nele aquilo que foi incapaz de fazer na empresa de sua família: um império. Mostrando-se bastante sagaz e persuasivo em seu novo alter ego, conseguiu montar facilmente uma gangue a quem deu o nome de Falsa Face (sutil, né?), onde seus capangas usavam máscaras e tocavam o terror sequestrando suas vítimas e torturando-as, colocando-as em máscaras contendo a maquiagem mutiladora da Janus. Circe obviamente não escaparia ilesa de sua loucura, sendo obrigada a usar a máscara que destruiria sua beleza para sempre.

Inevitavelmente, em sua sede de vingança, o Máscara Negra viria a se confrontar com o Batman. Num terrível duelo contra o homem-morcego, Sionis, em meio a um incêndio, teve sua máscara queimada e fundida permanentemente à sua face, que agora seria para sempre a sua verdadeira aparência. Tempos depois, no arco Jogos de Guerra, Roman se vingaria do Batman, matando a quarta Robin, a Salteadora.

Máscara Negra seguiu com seu império do crime, mostrando uma astúcia que os demais criminosos de Gotham nunca tiveram, e conseguindo, durante ao menos um pequeno período de tempo, unificar o controle  do crime da cidade em suas mãos. Para isso fez novos e poderosos inimigos no caminho, entre eles o Capuz Vermelho e principalmente Selina Kyle, a Mulher-Gato.

Com Selina o negócio se tornou muito, mas muito pessoal! Mulher-Gato barrou alguns dos esquemas do Máscara Negra, fazendo-o perder muito dinheiro no processo. Em busca de vingança, o psicopata matou o cunhado de Selina e sequestrou sua irmã, torturando-a de forma indescritível ao obrigá-la ao canibalismo. Para tanto, ele arrancou, diante dos olhos da irmã de Selina, pedaços do corpo do seu esposo e abriu, com uso de instrumentos cirúrgicos, sua mandíbula para forçá-la a ingeri-los! Tudo isso mostrado de forma intensa nas páginas de uma revista em quadrinhos!

Mulher-Gato não deixou por menos e espancou o sádico, deixando o infeliz cair do alto de um prédio em direção a morte. Apesar disso, Máscara Negra conseguiu sobreviver e tentou novamente atacar pessoas próximas à Selina. Cansada de tudo isso e resolvida a evitar o pior, ela foi atrás do cover decenauta do Caveira Vermelha, dando um tiro a queima roupa em sua cabeça, finalmente matando o infeliz. (Queria muito ver Batman ousar dar uma lição de moral na Selina e ter coragem de discordar disso!).

Acreditem ou não, mesmo após a morte, o Máscara Negra continuou a atormentar Gotham, agora na pele de Jeremiah Arkham, descendente do fundador do famoso asilo, que assumiu a persona do vilão, acreditando que o Máscara Negra na verdade seria uma entidade que possuía os seres (ah, DC! Já não basta o Parallax, DC!).

Bom, é isso. Essa é a história do pobre menino rico traumatizado que em vez de virar um herói tornou-se um vilão sádico especialista em tortura. Talvez agora, com o filme Birds of Prey, ele consiga sair do anonimato, encontrar um herói para chamar de seu e,  finalmente, alcançar o poder inabalável do submundo de Gotham que sempre sonhou ter! (De preferência sendo um pouco menos sádico no processo!). Cuidado aí, Coringa! Que o Máscara Negra tá chegando e não está a fim de sorrisos!

Avalie a matéria

Pai Fader

Pai fader - Um homem de bem com a vida, cheio de espiritualidade, com uma visão holística sobre esse misterioso mundo pop