Homem-Aranha, O Amigão da Vizinhança vol 2

Homem-Aranha: O Amigão da Vizinhança - 2

Mano, que gibi espetacular! Tom Taylor não deveria sair nunca desse gibi, mas a Marvel o interrompeu na edição #14 que está contida nesse volume acima.

Se você está aí de boa e acha que o Homem-Aranha é o Miles Morales ou conheceu Peter Parker nos cinemas, saiba que já tem uma geração de tiozinhos que cresceu lendo o Cabeça de Teia em formatinhos de editoras que nem existem mais, como a Rio Gráfica Editora, a famosa RGE, ou ainda a Bloch Editores.

Nessa época, eras atrás, a galera estava vivendo uma fase que se tornaria histórica na trajetória do personagem. Muitas aventuras desse período são consideradas marcos para o personagem, e algumas até para os quadrinhos de uma forma geral.

Friendly Neighborhood Spider-Man #14: I'll Be Here When You Wake ...

Nos gibis que eu lia quando pivete, o Homem-Aranha era mais do que um cara com poderes que fazia piadas sem graça na frente do perigo. Ele era um cara que SEMPRE se colocava DEPOIS de todos os outros, sacrificava seu bem-estar por completos estranhos e estava disposto a fazer tudo isso para o bem da humanidade sem reconhecimento nenhum, muitas vezes sendo hostilizado.

E esse clima, bróder, ele tá de volta nessas histórias escritas por Tom Taylor para a série FRIENDLY NEIGHBORHOOD SPIDER-MAN, cujo segundo volume tá na íntegra nesse tepezinho maroto da editora Panini. O primeiro resenhamos aqui.

O primeiro arco tem 4 histórias e narra uma parada relacionada ao Centro Festa, ainda tocado pela Tia May, mesmo com a descoberta de um câncer. O Gatuno, que é o Spawn da Marvel, o Bumerangue e Rumor, personagem apresentada no volume anterior, participam dessa treta.

Uma história totósinha da Mary Jane nos lembra o porque de ela ser a mulher de verdade! Chega, Marvel! Reverte o pacto, já deu! Não se trata nem de sermos nós, os leitores, que queremos ela de volta. É o Peter que precisa dela. O melhor casal dos comics, seguido de perto por Bruce e Alfred.

Duas partes dedicadas a um team-up com o Quarteto, coisa que era comum nos gibis das antigas também. O humor é caprichado nessas edições.

A última edição do encadernado é delicinha. É Homem-Aranha puro! Nem leia a partir daqui se você planeja ler o gibi, essa história não merece spoiler.

Homem aranha cai e desmaia on Make a GIF

Um blackout acontece do nada em Manhattan, a Tia May está no hospital para uma cirurgia relacionada ao câncer. Peter está no hospital, mas decide sair para investigar. Nas ruas, uma legião de amigos está mantendo as ruas em ordem, e todos pedem para que ele esteja aonde precisa estar, então ele volta ao hospital. Mas lá ele sem querer recebe uma dica sobre o cara que está fazendo isso. Ele vai até as quebradas de Nova York e encontra um garoto sozinho numa casa, usando uma rede de pessoas on line para atacar a cidade. Peter olha ao seu redor e percebe que o garoto precisa de ajuda: pais ausentes, casa abandonada, raiva… aquela mensagem de que todos tem problemas.

Peter pede pra ele parar porque aquela noite ele, o Aranha, estava enfrentando algo muito grande e o garoto atende ao pedido dizendo que não queria prejudicar alguém como ele, um herói do rolê. Peter promete voltar pra ajudar e segue rumo ao hospital já de manhã, bem a tempo de estar ao lado de May quando ela acorda.

Rolou uma lágrima, truta! Volta Tom Taylor!

Você pode conferir esse gibi na loja virtual da Panini.

Avalie a matéria