Ele está de volta!!! O retorno do vilão mais poderoso da DC Comics

Sim, ele está de volta! O grandioso Superboy-Prime não aparecia desde Teen Titans#100 (pré Os Novos 52, o soft reboot da DC Comics) e retorna logo no título em que Geoff Johns está tendo trabalho para manter em dia. Ele conseguiu, com muito atraso, concluir Doomsday Clock (levou 2 anos, mas enfim concluiu).

Shazam! foi adiada tantas vezes que já nos acostumamos a não esperar muito dos plots do Johns. Mas esta semana uma capa de Shazam! #13 foi disponibilizada, causando grande alvoroço: o retorno do degenerado e psicótico Superboy-Prime.

Shazam! #13 mostra o Superboy-Prime esmagando a Família Shazam

A ultima aparição do Superboy Primordial foi a cerca de 9 anos atrás. Mas você se lembra dele? Lembra dos atos que mudaram o jovem feliz e esperançoso Kal-El de uma Terra pura e sem heróis em um dos maiores vilões do universo DC? Então continue lendo logo abaixo um dossiê que montamos para você sobre o incrível Superboy Prime (ou como ele se intitula, Superman Primordial).

Superboy-Prime (ou como foi traduzido aqui no Brasil: Superboy-Primordial) é de uma Terra paralela chamada Terra-Prime, cujo universo era totalmente desprovido de super-heróis ou mesmo meta-humanos.

Superboy da Terra-Prime, único sobrevivente do universo pré-Crise nas Infinitas Terras

Na Terra-Prime, Superman e os outros super-heróis eram personagens fictícios. Basicamente naquele universo a vida era como a que eu e você vivemos.

A outrora pureza do Superboy Primordial

O universo da Terra-Prime foi apagado durante a Crise nas Infinitas Terras, e o Superboy-Prime acabou em uma “dimensão paraíso” (o que para nós seria o limbo, afinal ele não podia crescer ou evoluir e seria seu destino observar mas não interferir, sempre estagnado). No período em que esteve nessa dimensão, ele se viu incapaz de deixar sua vida anterior como o maior herói da Terra. Com o tempo, suas convicções e moral se tornaram um tanto distorcidas, e ele chegou a acreditar que a Terra-Prime era a única Terra adequada e que ele era o único realmente digno do manto do Superman. Prime acreditava firmemente que ser o Super-Homem era o seu chamado, apesar do fato de ele se tornado um vilão psicótico e assassino.

Uma das obras primas de Geoff Johns, que resgatou conceitos da crise original e soube trabalha-los como ninguém

Durante os eventos de Crise Infinita é mostrado que na “dimensão do paraíso”, Superboy-Prime usava cristais para reproduzir eventos de sua vida na Terra-Prime. Frustrado e com raiva, ele tenta conversar com Kal-L, o Superman da Terra Paralela, cuja atenção estava focada na saúde debilitada de sua esposa Lois. Enquanto isso, Alexander Luthor passa a acreditar que a razão por trás da saúde debilitada de Lois é a “dimensão do paraíso” e convence o Superboy-Prime a ajudá-lo a voltar à realidade, mostrando ao jovem kriptoniano os aspectos negativos da Terra pós-crise.

Socos que alteram a realidade…. aaaah os bons tempos que não volta mais….

Superboy-Prime hesita até ouvir Kal-L dizer: “Eu gostaria que este mundo o deixasse crescer. Ele nunca será o Superman aqui ”. Finalmente, Alexander mostra a morte de seus pais e namorada em um acidente de carro na Terra pós-crise. Furioso, o Superboy-Prime soca a barreira da realidade. Esse ataque causou ondulações que alteraram a realidade, esse ato foi usado como explicação para mudanças de caráter de alguns personagens e retcons na continuidade da DC. Essas mudanças incluíram o retorno de Jason Todd, as múltiplas origens de Superman, incluindo The Man of Steel e Superman: Birthright, o reboot da Patrulha do Destino, novos personagens, como Elasti-Girl, as múltiplas origens de Donna Troy após a primeira crise, várias encarnações do Falcão Negro e as diferentes encarnações da Legião de Super-Heróis desde a primeira Crise.

Crise Infinita é recheada de bons momentos. Esse é um deles.

O Superboy-Prime mata muitos heróis durante a Crise Infinita até ser derrotado pelo verdadeiro Superman.

Durante essa batalha, Prime afirma que ele é melhor que Kal-El, e que seu Krypton era superior ao dele.

Kal-El responde: “Não é sobre onde você nasceu. Ou quais poderes você tem. Ou o que você usa no seu peito. É sobre o que você faz … É sobre a ação”. Apesar de quase impotente, Kal-El derruba o Superboy-Primordial antes de desmoronar e é salvo por membros da Tropa dos Lanternas Verdes. Prime é então levado sob custódia aos Guardiões do Universo, que o colocam em um campo de contenção quântica, cercado por um devorador de sóis vermelhos e guardado por cinquenta lanternas. Em sua cela, ele desenha um “S” em seu peito.

Nos eventos de Sinestro Wars, o líder da tropa dos Lanternas Amarelos recruta Prime para fortalecer as fileiras de seu exército em sua guerra contra os Lanternas Verdes. No frigir dos ovos, Superboy torna-se um arauto do Anti-Monitor nesta emocionante saga escrita por Geoff Johns. Novamente muitos heróis perecem pelas mãos de Prime, que só é derrotado pela combinação de forças entre Superman, Poderosa e Supergirl. O vilão escapa assim que o sol nasce, o que restaura seus poderes.

Até arauto do Anti-Monitor Superboy Primordial já foi

A seguir o Primordial trava uma luta brutal contra Sodam Yat, hospedeiro da entidade Íon, ao longo do estado de Nova York, e sai vitorioso. Quando o Anti-Monitor é ferido pelos guardiões, Superman-Primordial (ele em determinado momento se auto-proclama “Superman”) o joga no espaço e depois enfrenta a Tropa de Sinestro e a tropa dos Lanternas Verdes, até que um guardião se sacrifica de boa vontade para destruí-lo. Mas ao invés de morrer, o Superman-Primordial é infundido com energia Oana e lançado de volta ao multiverso.

Após sua última derrota, Superboy Prime é mandado para o futuro pelo Senhor do Tempo, lá ele descobre que é tido como um vilão menor e quase insignificante na história de Superman, o que o faz odiá-lo ainda mais. Em busca de vingança ele liberta os membros da Legião de Supervilões e declara guerra à Legião. Superman então viaja para o futuro para ajudá-los e eles batalham. Durante a guerra, Smallville e Metrópolis são destruídas e o último dos Lanternas Verdes precisa interceder e participa da guerra. A batalha prossegue e enquanto os combates acontecem, Brainiac 5 traz Bart Allen e Conner Kent de volta à vida para enfrentarem o Primordial.

Enquanto isso, Superman e outros membros são levados ao fim dos tempos, onde enfrentam o Senhor do Tempo e descobrem que ele é o Superboy Primordial de um futuro alternativo, atirado tantas vezes na linha temporal que se tornou um paradoxo. Após uma longa luta, eles conseguem com ajuda de outras legiões levá-lo para a Terra, onde Superboy se irrita e o ataca.

Melancólico fim para um personagem tão poderoso? Hater de internet? Complicado.

O choque entre suas duas versões o faz perder os poderes temporariamente e ser atirado na Terra Prime, onde seus pais e Laurie estão apavorados, pois viram tudo o que ele fez através das HQs. Ele continua morando com seus pais, que fazem o que ele manda por medo do que ele possa fazer, e fica mais obcecado do que nunca pelas HQs da DC, por fim dizendo que não estava sem seus poderes, seus olhos ficam vermelhos.

Um momento que muitos adoraram

Em A Noite Mais Densa, Prime está lendo a revista Adventures Comics #4, uma edição onde ele mesmo aparece. Ao ler, ele se revolta por não saber a continuação e o que ocorre com ele. Isso o leva a ir para a loja de quadrinhos e brigar com o proprietário, que diz que a continuação ainda não saiu e sugere que ele procure spoilers na internet. E lá se vai o poderoso Superboy Prime buscando spoilers de maneira violenta nos forums da internet. Enquanto procura saber do seu destino, o Lanterna Negro Alexander Luthor vai atrás dele e o ataca, trazendo consigo pessoas assassinadas pelo Superboy e agora transformados em Lanternas Negros. Para tentar se salvar, Prime ataca os editores da DC Comics (Dan Diddio aparece na maior cara de pau do mundo) e os culpa por seus problemas. A luta se arrasta até a casa de Prime, onde ele percebe que não poderia derrotar seus inimigos e pega um anel dos Lanternas e coloca no próprio dedo, porém suas emoções conflituosas superam o poder do anel e ele passa pela força de vontade dos lanternas verdes, a compaixão dos lanternas azuis, a avareza dos lanternas laranja, o medo dos lanternas amarelas, a raiva dos lanternas vermelhas e o amor das Safira Estrelas. Ele elimina os Lanternas Negros e começa a chorar pedindo um final feliz. Então Laurie, sua eterna namoradinha, aparece com o braço quebrado e o abraça dizendo que ele pode ter seu final feliz agora, mas em seu dedo é mostrado o anel negro emitindo o último espectro emocional que o Superboy Prime escondia dentro de seu coração, a esperança.

Essa fase de “Contagem Regressiva” com certeza podemos ignorar fortemente

O que todas essas histórias tem em comum? Foram escritas por Geoff Johns, que aparentemente tinha dado um final feliz ao personagem. Afinal, o autor havia corrompido o Superboy Primordial para escrever sua Crise Infinita (baita saga, não custa salientar isso) de uma maneira como nenhum autor nunca havia feito. Transformou um jovem e poderoso Superman, que tinha um coração tão puro e cheio de esperança, que decidiu ir para o limbo em prol do bem do universo. Mas ao menos Johns conseguiu dar um fim decente para o personagem em “A Noite mais densa”.

Com isso, Superboy-Prime aparenta ter concluído suas participações no Universo DC, certo caro leitor? ERRADOOOOOOO.

Ultima aparição do Superboy Primordial se deu em Teen Titans #100

Ele aparece em Titans, apenas para mostrar raiva e ódio contra Conner Kent, montando um time de vilões dos Jovens Titans e alguns clones do Superboy. A jovem equipe de heróis da DC consegue derrotar o vilão novamente. Rola o dilema entre matar ou prender: o que fazer com o vilão? Afinal um ser tão poderoso não poderia ser preso ou contido por prisão alguma. Até cogitam coloca-lo na Zona Fantasma, mas no final resolvem colocar o Superboy Primordial na Muralha da Fonte. O que realmente funcionou, até porque ninguém ate então havia se libertado de lá.

Prime preso na Muralha da Fonte

Na continuidade atual da DC Comics, foi mostrado em Noites de Trevas: Metal (saga puro massavéio do Scott Snyder) e em Sem Justiça (especial da Liga da Justiça), que a Muralha da Fonte foi destruída. Logo temos 3 opções:

  • Este Superboy Prime que aparece em Shazam! #13, é o mesmo personagem que atazanou o universo DC anteriormente e se libertou da Muralha da Fonte, quando esta tombou.
  • Um novo personagem, completamente reformulado para este universo da DC Comics, pós-Renascimento.
  • Ou se formos mais drásticos, Prime pode ser peça fundamental para que Johns encaixe agora sua maior saga, Doomsday Clock, de forma coerente e sensata na continuidade do universo DC.

São muitas as possibilidades. Nós do Popsfera, apesar de amar rumores, preferimos esperar a edição chegar no ComiXology, para assim poder comentar com precisão sobre esses acontecimentos.

Shazam! #13 chega às bancas americanas e no ComiXology em abril. Portanto, fique ligado no Popsfera, certamente comentaremos o desenrolar destes eventos que prometem reverberar para todo o universo DC.

Avalie a matéria

Puyol Miranda

Uma simples testemunha da humanidade, que presencia todos os dias as grandes maravilhas de Deus. Além de presenciar o mais lindo momento de uma etapa de crescimento, me tornar pai. Sou analista de ti, leitor de quadrinhos, decenauta convicto e amante da tecnologia.