DC Comics rompe definitivamente os laços com a Diamond

Em uma mudança que impacta a indústria dos quadrinhos a DC Comics cortou laços com os distribuidores da Diamond. O anúncio foi feito por e-mail enviado aos varejistas na manhã desta sexta-feira, com a empresa informando aos clientes que todos os pedidos da DC serão atendidos agora pela Lunar Distribution e pela UCS Comic Distributors para lançamentos periódicos e pela Penguin Random House para graphic novels e encadernados.

O email da DC diz:

“Reconhecemos que, para muitos de vocês, isso pode parecer uma decisão importante. No entanto, podemos garantir que essa alteração nos planos de distribuição da DC não foi uma decisão fácil de tomar e foi feita após um longo período de reflexão e consideração. A mudança de direção está alinhada com a visão estratégica geral da DC, que visa melhorar a saúde e fortalecer o mercado direto, além de aumentar o número de fãs que leem quadrinhos em todo o mundo. ”

A DC Comics tomou uma decisão corajosa durante a pausa da Diamond, e contratou duas distribuidoras novas – Lunar Distribution e UCS Comic Distributors – para manter os gibis na banca e em paralelo efetivou uma das maiores mudanças nas plataformas digitais como parte de sua estratégia para adquirir novos leitores durante a pandemia de coronavirus. Só que todas as partes envolvidas, incluindo a DC e a Diamond, declararam publicamente que a DC continuaria lançando o produto através da Diamond quando a última retomasse a distribuição no final de maio. Mas o que se viu foi a Diamond boicotando os lançamentos da editora de Burbank. Lançamentos que eram para chegar numa quarta-feira, acabavam chegando sexta-feira ou sábado. Isso forçou uma decisão definitiva da editora em romper um contrato longo de 25 anos.

O rompimento da DC com a Diamond era claro e evidente que viria acontecer

Agora a DC Comics precisará contratar novos distribuidores para o mercado de quadrinhos do Reino Unido e do Canadá que são essenciais pontos de vendas.

A saída da DC para a Diamond significa que perderá a segunda maior editora do mercado norte-americano, responsável por aproximadamente 30% de todo o mercado em 2019. É um golpe significativo para a empresa de distribuição, que reabre depois de dois meses, com as editoras sendo comedidas e lançando poucos novos materiais nas comic shops.

Avalie a matéria

Puyol Miranda

Uma simples testemunha da humanidade, que presencia todos os dias as grandes maravilhas de Deus. Além de presenciar o mais lindo momento de uma etapa de crescimento, me tornar pai. Sou analista de ti, leitor de quadrinhos, decenauta convicto e amante da tecnologia.