DC Comics planejando vender mais gibis no Walmart

Após a demissão de Dan DiDio, parece que a At&t está tomando as rédeas da situação e implementando fortes mudanças na estrutura da editora de quadrinhos.

Primeiro rompeu com a Diamond, após a mesma se recusar a fazer mudanças estruturais importantes. Essas alterações foram pedidas já na época que a empresa era gerenciada pela Diane Nelson. A recusa da empresa de distribuição em melhorar os processos foi um fator extremamente forte para a DC optar por novos parceiros comerciais.

Em seguida estabeleceu 2 novos distribuidores no mercado que parecem mais do que nunca motivados a se estabelecer com alto padrão de qualidade de distribuição. A forma como as caixas e revistas chegavam danificadas por causa do transporte era uma reclamação recorrente dos lojistas.

Assim a DC estabeleceu um novo dia de distribuição de gibis no mercado direto, a terça-feira, e em paralelo tirou o gape de lançamento das graphics novels das redes de livrarias. Em relação aos gibis digitais, estes também chegarão no mesmo dia das edições físicas, tornando assim uma distribuição única e unificando os fluxos de forma igualitária.

E a nova etapa de expansão dos planos corporativos da DC Comics é estreitar ainda mais os laços com a rede de supermercados Walmart. Segundo o fofoqueiro Rich Johnston, há planos de vendas de gibis single issue (as famosas mensais) nas gôndolas dos mercados.

Os americanos verão os quadrinhos da DC invadir as gôndolas do Walmart

O Walmart já vendia os DC Giant (produto feito sob medida para a rede de supermercados, que eram aqueles “almanacões de 100 páginas” em que as histórias eram desconexas da continuidade corrente da DC Comics), o que representou um incrível acerto da gestão de DiDio. Logo, não seria imprudente afirmar que poderia vender mais gibis nos locais e torná-los uma forma de entrada de novos leitores de quadrinhos. Algo como as bancas de jornais fazem no Brasil.

E para efetivar um novo programa de testes, a DC e o Walmart decidiram encerrar os lançamentos da série de antologias GIANT e, em vez disso, se concentrarão em um novo modelo de negócios para levar os heróis da DC às prateleiras.

A ideia é criar uma espécie de coleções empacotadas de histórias em quadrinhos, de um personagem específico retirado de títulos recentes publicados no catálogo atual da DC. Cada pacote virá com uma placa colecionável exclusiva com um super-herói da editora. Esses painéis juntos criam uma imagem completa da Liga da Justiça do artista Ivan Reis.

“O Walmart tem sido um ótimo parceiro para trabalhar e estamos incrivelmente entusiasmados com esta nova fase do nosso relacionamento”, disse Nancy Spears, vice-presidente de vendas da DC. “Eles continuam a fornecer uma excelente plataforma para entregar nossos personagens e histórias a um público mais amplo, um público que continua a usar filmes, televisão, vídeo caseiro e videogame como porta de entrada para as histórias de super-heróis.”

Espera-se que esses pacotes cheguem a mais de 2.900 lojas do Walmart nos EUA até domingo, 21 de junho, e terão preço de $ 8,98.

Dando certo esse programa de testes, podemos afirmar que a DC Comics vai querer usufruir muito mais dessa lucrativa parceria comercial.

Fica claro que no frigir dos ovos a DC Comics está sabendo lidar melhor com a crise e implementando mudanças extremamente uteis e necessárias para otimizar os lucros e conseguir sobreviver com qualidade e uma boa saúde financeira.

Avalie a matéria

Puyol Miranda

Uma simples testemunha da humanidade, que presencia todos os dias as grandes maravilhas de Deus. Além de presenciar o mais lindo momento de uma etapa de crescimento, me tornar pai. Sou analista de ti, leitor de quadrinhos, decenauta convicto e amante da tecnologia.