Coringa do Ledger: A beleza da imperfeição e do caos

Meu caro leitor popnauta, é impossível realizar um especial sobre todos os grandes atores que viveram o Coringa, sem citar o melhor e mais inusitado de todos eles: HEATH LEDGER.

Era ano de 2006 e após uma bem-sucedida empreitada no retorno do Cavaleiro das Trevas através do filme Batman Begins, o diretor Christopher Nolan havia anunciado a tão aguardada continuação. Era uma produção misteriosa e guardada a 7 chaves. Diversos sites de fofocas nerdyz anunciavam inúmeros vilões e seus respectivos atores. Mas a certa altura do campeonato, nada mais era levado a sério. A falta de noção era tamanha que chegaram a cogitar Ryan Phillippe como um possível Harvey Dent e outros boatos que relatavam que Heath Ledger havia recebido uma proposta para viver o Coringa e dispensado.

Porém no final da noite de 31 de julho 2007 a Warner havia oficializado o nome da produção (The Dark Knight) e o ator que viveria o algoz do Batman: Heath Leadger.

Esse bonitão viria a se tornar o maior Coringa de todos?

Ledger estava sendo contratado para viver o famoso palhaço do crime e principal vilão do Batman. E muito se esperava do filme. O título remetia a uma das melhores e mais sombrias histórias de Frank Miller no Batman. E Nolan estava marcando os filmes do homem-morcego pelo seu realismo quase cru e pegada mais urbana. Até mesmo para diferenciar das produções anteriores (alguém lembra dos filmes do Joel Schumacher? Certo, então já deve saber do que estamos falando certo?).

Em uma entrevista que envolveu outros criativos de Hollywood, Jonathan Nolan (irmão do diretor) soube precisar exatamente o sentimento da época e revelou que a surpreendente escolha pelo ator ajudou a criar uma aura de mistério e de surpresa sobre a atuação do astro de ‘O Segredo de Brokeback Mountain’ e de ’10 Coisas que eu Odeio em Você’.

De galã de comédia romântica teen à cowboy gay, Ledger se mostra o ator perfeito pela versartilidade

Muito se percebe sobre a versatilidade de Heath, um ator oriundo de comédias românticas, afinal seu primeiro grande sucesso nos cinemas é o subestimado “10 coisas que eu odeio em você”, mas que também participou de O Patriota com Mel Gibson, um filme de época “Ned Kelly”, “Os Reis de Dogtown”, passando por produções mais intimistas como “A última ceia” e por produções comerciais como as dos Irmãos Grimm, onde atuou com Matt Damon. Porém “O Segredo de Brokeback Mountain” foi o filme que mais acendeu o farol na carreira do jovem astro. Com este filme os diretores viram um ator maduro, que sabe atuar e principalmente selecionava muito bem os papéis que escolhia. Uma característica muito exaltada, por exemplo, em Keanu Reeves. Heath, era um ator completo naquela altura do campeonato. Todas essas produções em que o ator trabalhou deram visibilidade e notoriedade a está grande astro, mas nenhuma fez mais pela carreira dele do que Batman: The Dark Knight.

Prometendo ser um filme sério, denso e visceral, a primeira imagem do ator na pele e rosto do Coringa impressionou a todos.

A baixa qualidade da foto foi proposital. A produção do filme, queria causar estranheza e curiosidade. E conseguiu.

A partir deste momento, sabíamos que a produção estava usando todas as ferramentas possíveis para diferenciar o seu Coringa. Quando o filme veio à tona, pudemos sim presenciar um ator que soube vestir a personalidade do Coringa completamente.

Sob toda aquela maquiagem e cicatrizes, o roteiro apontava para várias características inerentes ao Coringa. Sua identidade nunca revelada, seu comportamento louco, estrategista e maquiavélico. Além da sua óbvia loucura. Sua necessidade de equilibrar a balança com o surgimento de Batman em Gotham City.

“Why so serious??”

The Dark Knight pode ter sido um filme instável e com bastante motivos para ser criticado. A história mesmo girava mais em torno de um Bruce Wayne amargando a tristeza por não estar com sua Rachel e dando visibilidade para um brilhante Harvey Dent, do que qualquer outra coisa. Além do excesso de personagens. Conte comigo, somente de vilões havia o mafioso Maroni, Duas Caras e o Coringa que subia e progredia no mundo do crime. Mas uma crítica mais aprofundada faremos depois dessa película. Hoje falaremos somente desta versão do Coringa.

Frase que marcou o filme

Como estava escrevendo logo acima, em um filme que tem muitos personagens, e onde o herói da película se perde no choro, lágrimas e mágoas, o Coringa do Heath Ledger brilha como a verdadeira Estrela do amanhã. Seu Coringa é altamente sofisticado nas ideias, muito inteligente nas maquinações, hábil lutador de rua que encheu o Batman de boas pancadas e além de tudo trabalha o psicológico de suas vítimas como ninguém. O filme tem incongruências gigantes e um dos principais é apontar o Coringa quase como um agente do caos. Mas o que podemos dizer além de que o verdadeiro protagonista do filme é o Coringa??

Olááá Enfermeiraaaaa!!

O personagem simplesmente domina a tela toda a vez que aparece. Seja fazendo piadas sem graça com cunho violento, ou aparecendo disfarçado de enfermeira explodindo um hospital. Heath Ledger soube trabalhar o personagem como ninguém e aproveitou cada minuto que podia.

“Sim Bats, eu sou o verdadeiro protagonista moral do filme”

Infelizmente o ator não viveu para ver seu personagem ser glorificado e validado pela crítica. E nem tampouco pôde receber seus muitos prêmios pela linda atuação que sua fantástica mente produziu. Mas seu nome já está cravado na mente de todos que se importam com a arte e com o universo do Batman.

Nenhum ator fez mais pelo Coringa que Heath Ledger. Mesmo morto, ele ainda vive em nossas mentes e corações.

Avalie a matéria

Puyol Miranda

Uma simples testemunha da humanidade, que presencia todos os dias as grandes maravilhas de Deus. Além de presenciar o mais lindo momento de uma etapa de crescimento, me tornar pai. Sou analista de ti, leitor de quadrinhos, decenauta convicto e amante da tecnologia.