Beastars – Um Ótimo Anime na Netflix

Beastars é um anime recém lançado na Netflix (13/03) e se trata de uma adaptação do mangá Shonen que está arrebentando no Japão, escrito por Paru Itagaki, filha de Keisuke Itagaki (escritor de Baki, um outro mangá de sucesso por lá).


A trama se dá em um universo antropomórfico dividido entre os Herbívoros e os Carnívoros, em que as regras da sociedade e o preconceito entre essas duas classes deixam o ambiente de uma escola um tanto pesado.
O personagem principal é Legoshi, um tímido lobo cinzento que luta contra seus instintos predatórios diariamente. Ele faz parte da equipe técnica do grupo de teatro da escola e terá de aprender muito sobre si mesmo após conhecer Haru, uma coelha anã que despertará sentimentos que ele nunca antes experimentou. Ao longo dos episódios, vamos conhecendo sobre os dois e descobrindo sobre seus passados e motivações.

Não há como não ficar tocado pela tristeza de Haru ao relatar sua angústia em ter de ser sempre a “protegida” ou a “digna de pena” por ser pequena e fraca. Também vemos um pouco de nós mesmos em Legoshi, que tem de encarar a dualidade de sua personalidade, se equilibrando entre o “papel” que tem de representar perante a sociedade e sua natureza de lobo.


Temos também um cervo vermelho chamado Louis, o animal mais popular da escola, astro do grupo de teatro e candidato ao posto de Beastar – Uma espécie de representante máximo das aspirações animais – e que guarda alguns segredos revelados no decorrer dos 12 episódios da primeira temporada. Seu personagem é o contraponto de Legoshi e funciona de maneira maravilhosa nesse sentido.


A história cativa e tem diversos pontos de reflexão, traçando paralelos com a sociedade em que vivemos.
A produção é do estúdio Orange, que realmente caprichou no projeto. O anime conta com belas imagens e uma ótima trilha sonora feita por Satoru Kousaki (Wake Up, Girls!, Oreimo, Monogatari segunda temporada). A direção é de Shinichi Matsumi (diretor assistente de Pom Poko, Porco Rosso; episódios de Rurouni Kenshin, Rage of Bahamut Genesis), o enredo é de Nanami Higuchi (Little Witch Academia, Ninja Slayer da Animation) e o design de personagens é de Nao Ootsu.
A Panini publica o mangá aqui no Brasil desde o início de 2019.

Avalie a matéria

Fabiano Souza

CAPITÃO no meio campo, escreve textos e destrói falsos deuses antes do café da manhã