AGENTES DA S.H.I.E.L.D. – S07E07

O ano é 1982. Você está lá, mas você é do futuro. O que você faz? Óbvio, produz um look meio como se o Cazuza fizesse cosplay de Steven Tyler misturado com Michael Jackson e monta uma banda com sucessos eternos mas que ainda não foram gravados! Foi isso que Deke fez nesse episódio de Agentes da S.H.I.E.L.D..

The Deke Squad, senhoras e senhores.

O epê começa com Deke relatando para May todo o que aconteceu, então a ação rola em flashback. May parece não acreditar em uma palavra, mas nem eu acreditava no que via, imagine ela.

Um cara leva um computador para manutenção porque ele tá pifando desde “a oscilação de energia da última noite”, eles até se conhecem. O técnico, projeto de hacker, avô de todos os caras do T.I. do mundo, liga a máquina dele e o computador se comunica, primeiro na tela, depois na impressora e, por fim, em áudio depois que o gordinho (é claro que ele é gordo) desenvolve uns gadget ao estilo MacGyver. A voz é feminina e diz que seu nome é Sybil – ela mesma, a oráculo dos Chronicoms que foi explodida junto com o Coulson semana passada. O gordinho, lógico, se apaixona pela voz e cria um corpo pra ela. Já assistiu Mulher Nota 1000? John Hughes e tals? Então vai lá ver, é clássico. Além desse, você já viu um seriado chamado Super Máquina? É claro que não, olha a sua idade, muito jovem pra isso. Mas eu já e todos que viram vão se lembrar na hora.

Mack e Deke ficaram para trás após o Zephyr despirocar e pular no tempo sem avisar. Eles estão presos ao ano de 1982. Mack ainda não se recompôs após a morte de seus pais e percebe que ele mesmo tem 10 anos em 1982. Deke acredita que eles estão ali por alguma razão, mas Mack está de boa, só quer sentar e relaxar, visitar o túmulo dos pais, beber em frente a TV. Ele acredita que Coulson derrotou os Chronicoms ao explodir os Hunters no epê anterior.

Mack se isola em uma casa que deve ser da Shield, eu não sei, e passa o dia montando miniaturas de carros antigos e bebendo. Deke tenta trazer seu diretor de volta à realidade por meses, passando inclusive pela virada de ano para 1983. Mack não abre nem a porta. Deke então deixa um flyer de uma balada chamada SWAYZE’S que desperta o interesse de Mack. Talvez ele seja fã de Ghost.

No bar, a banda The Deke Squad é um sucesso. A sequência da performance é longa e hilária, Mack não acredita nas tetéias pirando no Deke rock star, que altera a letra da música e manda um Daisy quando era pra dizer baby. A performance já tá no Youtube:

Não é que tem um Steven Tyler mesmo?

Após o show Mack explica o sentido da vida para Deke, o tom é pesado na bronca. Deke diz que a banda não é uma banda cover de uma música inédita, mas sim um disfarce para uma equipe de Agentes da SHIELD e segue uma cena de apresentação dos integrantes COM O TEMA DE ESQUADRÃO CLASSE A!!!!! BRÓDER, ESSA TEMPORADA ESTÁ MEMORÁVEL!!!

Deke pede para que Mack lidere esse bando de xaropes contra os Chronicoms, mas essa conversa só poderá rolar no Quartel General dos caras, que é nada mais nada menos que a base do farol que Deke transformou nisso:

Mack fica putaço com a zona e recusa liderar esses xófens desordeiros, mas Deke diz que Coulson acha a ideia boa. Sim, Coulson está na base! Sua mente foi resguardada em um hard drive recuperado por Deke. Toma mais uma referência aí com esse fundo meio TRON:

Coulson diz para Mack que acredita que Sybil está viva e que ela está construindo Hunters em algum lugar, o que se confirma. No porão do gordinho do T.I. Sybil, usando seu corpo de Short Circuit com visor de Super Máquina, constrói mais alguns iguais a ela. Ao se despedir de seu construtor apaixonado, rola uma cena gore SENSACIONAL. Uma inesperada homenagem aos filmes de terror da época.

Rola uma discussão entre Mack e Deke exatamente quando os Hunters 1983 invadem a base do farol. Numa cena Sexta-Feira 13, o baterista da banda vai pro saco em outra cena gore, com direito a muito sangue fake e gritos de sua namorada. Foi lindo.

Enquanto isso Steven Tyler confronta Mack e diz pra ele que Deke estava cuidando do Mack gordinho de 10 anos dos anos 80. Nesse momento uma porta se abre e o Exterminador do Futuro aparece, ou apenas um robozinho hunter matador de bateristas.

A partir daqui temos uma sequência com robôs invadindo a base e matando quem encontram pela frente. Tem citações a Top Gun, Metallica, Comando Para Matar, Falcão, o Campeão dos Campeões (Vai, Corinthians!), cena do Rambo se vestindo com direito a fita na cabeça e tudo.

Coulson acredita que Sybil procura o dispositivo para viagem no tempo, que estaria ainda dentro da base desde a explosão. O corpo robótico de Sybil é destruído, mas o dispositivo é recuperado por um robô menor, também controlado por Sybil.

Após a treta, Mack e Deke visitam a casa do tio Marcus, com quem o Mack ficou após a morte de seus pais. Nesse ponto pipoca no céu a Zephyr exatamente no ponto onde ela sumiu. A dupla segue direto até a base do farol, onde rola um encontro amorzinho entre Mack e Yo-Yo e um menos doce entre May e Coulson.

Fechando o episódio, o robozinho entrega o dispositivo recuperado para um não-morto Nathaniel Malick, que tinha sido meio que soterrado por um telhado no epê anterior. Ele está conversando com Sybil através de um monitor. Ela diz pra ele que agora ele tem a ferramenta para controlar o futuro do mundo!

Episódio espetacular! Confira o promo do da semana que vem no vídeo abaixo. Os Inumanos estão de volta, mais especificamente a mãe de Daisy.

ATÉ SEMANA QUE VEM!

Avalie a matéria